Telefônica Vivo (VIVT3) apresenta lucro líquido de R$ 1,436 bilhão no terceiro trimestre

A empresa divulgou os dados de desempenho para o 3T22

Publicidade

Publicidade

Após o fechamento do pregão desta terça-feira (25), a Vivo (VIVT3) divulgou o seu balanço para o terceiro trimestre de 2022.

Apresentando uma alta de 10,6% em sua receita operacional líquida na comparação anual, a empresa divulgou as informações uma semana após realizar um pagamento bilionário em dividendos.

Balanço trimestral da Vivo

Publicidade

Os dados operacionais da empresa foram publicados logo após o fechamento do pregão desta terça-feira.

Durante o período, a empresa registrou uma Receita Operacional Líquida de R$ 12,199 bilhões, uma alta de 3,1% em comparação aos R$ 11,831 bilhões apresentados durante o segundo trimestre do ano. Na comparação anual, a quantia foi, ainda, 10,6% maior.

Publicidade

O lucro líquido da Vivo aumentou ao longo do 3T22, atingindo os R$ 1,436 bilhão. Isso representa uma alta ante o 2T22, quando a empresa registrou R$ 746 milhões, e um crescimento de 9,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

Publicidade


O EBITDA reportado da companhia foi de R$ 4.957 bilhões, uma expansão de 2,6% em relação aos R$ 4.830 bilhões registrados no 3T21.

Publicidade

Publicidade

Os custos totais da empresa de telecomunicações durante o período foram de R$ 7,242 bilhões, uma ligeira queda na comparação mensal (R$ 7,253 bilhões), mas representando uma alta de 16,7% ante o 3T21 (R$ 6,203 bilhões).

Os acessos móveis totais da companhia também cresceram no período de um ano. No terceiro trimestre deste ano, a empresa registrou um total de 97.328 milhões de acessos, alta de 18,3% na comparação anual (82,253 milhões de acessos no 3T21).

Publicidade

Desses, 57,454 milhões foram através de planos pós-pagos, e 39,874 milhões através de planos pré-pagos.

Enquanto o mercado financeiro aguardava pela divulgação dos dados operacionais da Vivo (VIVT3) para o terceiro trimestre de 2022, as ações da empresa se desvalorizaram durante o pregão desta terça-feira (25).

Publicidade

Dessa forma, seus ativos fecharam o dia com uma queda de 0,45%, atingindo os R$ 39,62. No período de seis meses, seus papéis se desvalorizaram em 26,15%. No acumulado do ano, as ações apresentam uma queda de 17,13%.

A teleconferência para a divulgação das informações está programada para ocorrer nesta quarta-feira (26), às 11:00 horas (Horário de Brasília), através da plataforma Zoom.

A transmissão será feita em inglês, contando com uma tradução simultânea em português.

Vivo/Foto: TudoCelular

Dividendos bilionários

Na última terça-feira (18), a Vivo realizou o pagamento do total de R$ 3,5 bilhões em dividendos, com um valor nominal de R$ 0,8944 por ação.

Eles seriam pagos aos acionistas que fossem detentores dos ativos até a data de corte estabelecido pela empresa, o dia 27 de dezembro do ano passado.


A distribuição segue, ainda, a linha das políticas de pagamento da Vivo, que se comprometeu em repassar 25% do seu lucro líquido aos acionistas.

Uma das 10 mais sustentáveis do mundo

Já na última quarta-feira (19), o S&P divulgou o resultado do ranking global de CSA (Global Corporate Sustainability Assessment) e, de acordo com o balanço, a Vivo está entre as 10 companhias de telecomunicação mais sustentáveis do mundo.

Totalizando 86 pontos no levantamento, a empresa atendeu 14 dos 25 critérios de ESG (Environmental, social and Governance) propostos pela pesquisa.

De acordo com o VP de Relações Institucionais e Sustentabilidade da Vivo, Renato Gasparetto, o desempenho reflete o Plano de Negócio Sustentável proposto pela companhia, com “mais de 100 indicadores”, alinhadas com a estratégia da empresa.

“[…] São metas de curto, médio e longo prazo, que impulsionam a geração de impacto positivo e valor para a empresa e para a sociedade”, disse o executivo.

Publicidade