Visa encerra acordo de cartão de débito global com a FTX

Publicidade

Publicidade

A gigante global de pagamentos Visa informou no último domingo (13) que rompeu o seu acordo global com a exchange de criptomoedas FTX em sua iniciativa de cartão de débito com suporte para cripto. A empresa de cartões disse que o caso da FTX é lamentável:

“A situação com a FTX é lamentável e estamos monitorando os desenvolvimentos de perto”, disse um porta-voz da Visa à Reuters.

Publicidade

“Nós rescindimos nossos acordos globais com a FTX e seu programa de cartão de débito nos EUA está sendo encerrado por seu emissor.”


Publicidade

Acordo entre a Visa e a FTX

Conforme noticiou o CriptoFácil, a FTX e a Visa anunciaram em outubro uma parceria para levar o cartão de débito cripto Visa para 40 novos países com foco na América Latina, incluindo o Brasil.

Publicidade

A Visa já havia até mesmo aberto uma lista de espera para os interessados em adquirir o cartão. O foco da parceria era a expansão do programa de cartão de débito para a América Latina, Ásia e Europa.

No ano passado, as partes já haviam firmado uma parceria para lançar o cartão nos Estados Unidos.

Publicidade

Publicidade

Na ocasião, o chefe de criptomoedas da Visa, Cuy Sheffield, destacou que a empresa acredita que as criptomoedas terão um impacto duradouro no futuro dos serviços financeiros e da movimentação de dinheiro. Por isso, a Visa resolveu expandir as suas parcerias no setor cripto.

“Nós estamos empolgados em fazer parceria com as principais exchanges de criptomoedas, como a FTX, para trazer mais flexibilidade e facilidade de uso à maneira como as pessoas usam suas criptomoedas – desbloqueando a capacidade de usar um saldo de criptomoedas para financiar compras em qualquer lugar que a Visa seja aceita”, disse Sheffield.

Publicidade

Colapso da FTX e ‘contágio’ no mercado cripto

Contudo, o acordo foi encerrado após o colapso da FTX. A exchange de criptomoedas e 130 empresas afiliadas, incluindo a sua empresa irmã Alameda Research, entraram com o processo do Capítulo 11 – pedido de recuperação judicial – nos EUA no dia 13 de novembro.


Publicidade

Além disso, na mesma data, Sam Bankman-Fried renunciou ao cargo de CEO da empresa.

O fracasso da exchange está causando um verdadeiro caos no mercado de criptomoedas. Nesse sentido, muitas exchanges estão precisando agir para tentar recuperar a confiança dos usuários.

A Binance, a OKX e a Kraken, por exemplo, estão lançando a chamada Prova de Reserva (PoR) para dar mais segurança aos usuários.

A Crypto.com também se pronunciou nesta semana negando que esteja passando por problemas financeiros. De acordo com o CEO da empresa, a exposição da Crypto.com à FTX é mínima, limitada a US$ 10 milhões (R$ 52 milhões).

Enquanto isso, a Kraken informou que precisou congelar as contas da FTX e de seus líderes. Conforme informou a empresa, a ação foi tomada a pedido das autoridades como forma de proteger os credores da empresa.

Publicidade