Twitter (TWTR34) pede a volta de funcionários após demissão em massa

Elon Musk realizou uma demissão em massa do quadro de funcionários do Twitter, mas pede para que esses funcionários voltem a trabalhar na empresa

Publicidade

Publicidade

Nesta segunda-feira (07), o Twitter entrou em contato com os ex-funcionários, para pedir que voltem a ocupar seus antigos cargos. A empresa de microblog disse que alguns funcionários foram demitidos por engano, portanto não houve uma análise antes de realizar a demissão em massa. 

O empresário Elon Musk comprou a empresa de microblog em 27 de outubro,  por US$ 44 bilhões. Entretanto, mesmo antes de Musk efetuar a compra, as mudanças planejadas pelo empresário já haviam entrado em discussão no Twitter, como a demissão em massa do quadro de funcionários.   

Publicidade


Os planos de Elon Musk 

Na sexta-feira (04), a empresa de microblog demitiu cerca de 3.700 funcionários por e-mail. De acordo com Elon Musk, foi necessário realizar uma demissão para equilibrar as contas e tornar a rede social mais lucrativa. 

Publicidade

Uma das propostas de Musk, para levantar os lucros, é a cobrança mensal de contas verificadas na rede social, chamado de Twitter Blue, no qual se o usuário pagar  US$ 8 por mês, será permitido usar o selo de verificação, que evita os uso de  perfis falsos, roubos de contas, entre outros recursos.  

Publicidade

O recurso para assinantes, também faz parte das mudanças que Musk deseja fazer,  sendo assim quem assinar o plano Twitter Blue, poderá incluir metade dos anúncios, a capacidade de postar vídeos mais longos e obter classificação prioritária em respostas, menções e pesquisas.

Legenda/Foto: Empresário Elon Musk Créditos: Britta Pedersen-Pool

A demissão em massa 

De acordo com os ex-funcionários, na quinta-feira (03), eles receberam um e-mail da empresa, no qual avisava sobre as demissões que iriam ocorrer no dia seguinte. Alguns funcionários afirmaram que a partir deste comunicado, o acesso às suas contas da empresa de microblog já estavam sendo negados. 

Publicidade

Publicidade

O jornalista do The Washington Post, Will Oremus, publicou em seu twitter um dos comunicados feitos pela empresa de microblog, dizendo que: “Aqui está a primeira comunicação oficial da nova liderança do Twitter para sua equipe, uma semana depois que Musk assumiu: um jogo divertido onde você descobre se foi demitido ou não às 9h de amanhã, com base em se o email aparece em sua conta do Twitter ou conta pessoal”.

A volta dos ex-funcionários  

Já nesta segunda-feira (07), o Twitter entrou em contato com esses funcionários, pedindo a retomada de seus cargos, já que a empresa de microblog precisaria de produção na criação dos novos recursos. Alguns ex-funcionários disseram que até uma data para a retomada de cargos foi determinada pelo Twitter.

Publicidade

Alguns funcionários disseram que a empresa de microblog usou como justificativa que, as demissões foram realizadas por engano, sendo assim os funcionários foram demitidos antes que os  líderes percebessem que seu trabalho e experiência seria necessária para construir os novos recursos prometidos por Elon Musk. 

Imagem ilustrativa Créditos: Reprodução

Relatos dos ex-funcionários 

Os funcionários demitidos, nos Estados Unidos, já haviam começado a abrir um processo judicial, alegando que não receberam aviso prévio da rescisão do contrato, na qual faz parte das leis trabalhistas dos EUA. 

Publicidade

Há relatos de que funcionários que trabalhavam nas operações da rede social desde o início também foram demitidos, como o diretor geral na França, Damien Viel.  

“Todos os meus pensamentos, respeito, energia e amor a todos os tweeps ao redor do mundo hoje. Construímos juntos o aplicativo mais incrível do planeta. Vamos nos orgulhar de tudo que fizemos e como fizemos #lovewhereyouwork”, publicou Viel em seu Twitter. 


A diretora de comunicação externa e relações públicas, Audrey Herblin também publicou em seu twitter sobre a demissão em massa do quadro de funcionários: “Rolar (a tag) #LoveWhereYouWork é de partir o coração. Esta empresa foi feita dos seres humanos mais talentosos, orientados para a missão e atenciosos. Essas pessoas fizeram dele um lugar tão especial”.

Os funcionários demitidos fazem parte de equipes ligadas às atividades de moderação de conteúdo, ética,  transparência, responsabilidade e inteligência artificial. Deste modo, esses funcionários eram responsáveis por identificar, filtrar e bloquear posts em textos e imagens que continham discurso de ódio.

Publicidade