TIM (TIMS3) anuncia parceria para acelerar implementação do 5G

Controlada por fundos do BTG Pactual e GlobeNet, a V.tal assinou um contrato com a empresa de telecomunicação

Publicidade

Publicidade

Nesta sexta-feira (25), a empresa de telecomunicação TIM (TIMS3) anunciou uma parceria com a companhia de fibra ótica V.Tal, com fundos administrados pelo BTG Pactual e GlobeNet, além de contar com participações de sua rival Oi.

Além de conceder permissão para que a TIM utilize a rede de fibra ótica da companhia, o contrato também prevê um financiamento de R$ 2,5 bilhões.

TIM anuncia parceria

Publicidade

A parceria permite que a rede de fibra ótica da V.Tal seja utilizada pela TIM para ampliar seus serviços fiber-to-the-home (FTTH) — sistema que utiliza da tecnologia de fibra ótica para o fornecimento de serviços de TV Digital e internet à residências interligadas na rede —, que conecta mais de 18 milhões de casas em todo o Brasil.

Dessa forma, segundo a TIM, a infraestrutura disponibilizada será utilizada para conectar cerca de 2,5 mil sites 5G TIM. Essas antenas serão espalhadas em diferentes cidades, para que a empresa aumente o seu fornecimento da tecnologia no país.

Publicidade

Rafael Marquez, Diretor de Marketing da V.Tal/Foto: Reprodução

Até o mês de setembro deste ano, segundo a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), a empresa de telecomunicação prestava serviços de 5G em 109 municípios.

Publicidade

Apesar de liderar a cobertura da nova tecnologia no país — detentora de 3.247 do total de 6.880 antenas 5G implantadas no Brasil —, a TIM ainda é a empresa com a menor rede FTTH do país.

Sua participação de mercado é de 1,7% em banda larga fixa, considerando seus cerca de 700 mil clientes em 31 cidades brasileiras.

Publicidade

Publicidade

Por isso, com a parceria, a companhia busca aumentar sua atuação na prestação de serviços 5G.


Publicidade

Segundo o presidente-executivo da TIM Brasil, Alberto Griselli, “Ao optar pelo modelo de negócio de rede neutra em parceria com a V.tal, conseguimos expandir rapidamente para novos mercados e melhorar nosso retorno sobre o capital”.

O presidente-executivo da V.Tal, Amos Genish, enxerga a parceria com a empresa de telecomunicação como muito estratégica para a empresa de fibra ótica. 

Publicidade

Isso pois, para o executivo, além de ser firmado com uma das maiores operadoras do país, o contrato “[…] solidifica a nossa atuação como maior empresa da rede neutra no mercado”.

Além disso, o financiamento de R$ 2,5 bilhões também será fornecido por meio do contrato firmado. A empresa de telecomunicação utilizará o montante para fortalecer as suas próprias operações.

Imagem ilustrativa/Foto: Reprodução

O investimento em questão só pôde ser feito através de um aumento de capital, realizado pelo BTG Pactual, que administra parte dos fundos da empresa, com a utilização de recursos do CPPIB (Canada Pension Plan Investment Board).

A operação também alterou a participação da Oi no capital social da V.Tal, fazendo com que a empresa concorrente da TIM passe a deter cerca de 34% da empresa.

A V.Tal também se utilizará dos recursos gerados pela operação. A empresa, por sua vez, vai investir na instalação de fibra ótica em novas localidades, no fortalecimento de sua infraestrutura digital e para as chamadas “aquisições selecionadas”.


TIM e o HT Micron

Recentemente, a fabricante brasileira de processadores HT Micron anunciou que desenvolverá, em parceria com a TIM e a Qualcomm, seu novo chip destinado à prestação de serviços de IoT (Internet das Coisas)

Com o objetivo de fornecer conectividade para aplicações no conceito de indústria conectada e cidades inteligentes, o chip contará com o auxílio de NB-IoT (Narrowband IoT) da própria TIM.

Dessa forma, o produto contará com uma baixa latência em funcionalidades e a transmissão mais eficiente de dados. O chip estará disponível, segundo as empresas, durante o primeiro trimestre de 2023.

Para o diretor de Desenvolvimento de Mercado IoT e 5G da TIM, Alexandre Dal Forno, “O uso de módulos compatíveis com a rede NB-IoT capacita empresas a ampliar conectividade e otimizar projetos e processos”. 

Publicidade