SuperOpa quer levantar R$ 10 milhões em rodada seed   

A quantia será dividida entre investidores institucionais e crowdfunding

Publicidade

Publicidade

A startup de delivery de  alimentos, a SuperOpa, está movimentando um seed (rodada de investimento em empresas em estágio inicial ou zero) de R$ 10 milhões.

O aporte será dividido em R$ 5 milhões vindos de investidores institucionais, presentes na rodada liderada pela RG Nutri com a participação do fundo Bossa Nova, e o restante via crowdfunding, na plataforma SMU.

Rodada seed da SuperOpa

Publicidade

Antes de planejar sua rodada seed, a companhia já havia captado uma quantia de R$ 2,3 na plataforma de crowdfunding, no ano de 2020. No entanto, a companhia já tinha se desenvolvido com o investimento anjo de R$ 330 mil, em 2019.

Segundo a companhia, o aporte projetado para a rodada de financiamento será destinado à melhora do seu sistema de delivery. Uma parte dos R$ 10 milhões servirá para otimizar a operação de sua green store, inaugurada em Campinas no começo do ano.

Publicidade

Ao melhorar as operações de seu centro de distribuição próprio, a medida vai interferir diretamente no atendimento aos pedidos feitos pelo app.

Publicidade

Depósito da SuperOpa/Fonte: Divulgação – Superopa

Com a quantia, a startup também deseja aumentar sua área de atuação. Ao investir em seus sistemas de gestão de galpão e infraestrutura, a companhia quer levar o sistema de delivery aos bairros de classes C e D da cidade de São Paulo.

Segundo o presidente e cofundador da startup, Luis Borba, no dia 20 de junho será inaugurado o primeiro container pickup alocado em uma comunidade de São Paulo. De acordo com o executivo, a medida vai beneficiar “os 15 mil moradores do Jardim Lapena, na Zona Leste da cidade”.

Publicidade

Publicidade

Dessa maneira, os moradores da região podem contar com a ausência de taxas de entrega, ou retirar os produtos no pickup container, localizado na estação de trem São Miguel Paulista.


Publicidade

A SuperOpa é uma foodtech que, através da gestão de prazos de validade, entrega produtos com desconto aos seus clientes e ajuda a diminuir o desperdício de alimentos na cidade.

Em seu marketplace, é dito que a startup oferece produtos com descontos de até 70%. O aplicativo tem capacidade de salvar até 18 milhões de toneladas de alimentos que, por conta dos prazos de validade, seriam descartados.

Publicidade

De acordo com Borba, “Queríamos avaliar a inclinação dos consumidores a comprar alimentos que estivessem mais próximos da data de vencimento. Os resultados mostraram que 75% dos entrevistados comprariam estes produtos se estivessem mais baratos, enquanto 25% o fariam se fosse para impedir o desperdício”.

Equipe SuperOpa/Fonte: SuperOpa

Apesar de focar o aporte na cidade de São Paulo, a plataforma já atende mais de 500 cidades espalhadas entre os Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Luis disse, ainda, que esta “é uma batata quente que vai passando da indústria para o distribuidor e, por fim, para o consumidor final. Por isso, ao longo desses três anos, criamos um modelo disruptivo para endereçar esse problema. Uma solução que crie valor para a indústria e gere um benefício ao cliente final”.

ESG e startups

Um modelo similar ao da brasileira SuperOpa já é conhecido ao redor do mundo. Este é o caso da WhyWaste, que propõe solucionar o mesmo problema a partir de uma percepção logística.

Dessa maneira, utilizando a inteligência de negócios como solução para o desperdício de alimentos, a startup faz a gestão de venda de produtos próximos da data de vencimento. Ela tem atuação em mais de 18 países, estando presente na Europa, Ásia, América do Sul e Oceania.

O app Food to Save também já é conhecido. Este, por sua vez, também oferece descontos em seu delivery e luta contra o desperdício. Quando questionado sobre a concorrência, o CEO da SuperOpa afirma que “Enquanto a Food to Save endereça uma forma para resolver o problema final na cadeia, nós atacamos o problema na origem, e com volumes maiores de produtos”, destacando a diferença nas propostas.

Publicidade