Startup Daki realiza rodada de demissões

Antes do desligamento dos profissionais, a companhia já havia encerrado suas operações nos EUA

Publicidade

Publicidade

Nesta sexta-feira (08), a startup unicórnio de entregas Daki anunciou a demissão de 30 funcionários nesta semana.

Esta, no entanto, não foi a única rodada de cortes realizada pela companhia neste ano. Além disso, a empresa também encerrou suas atividades nos Estados Unidos.

Demissões na Daki

Publicidade

Seguindo a onda de demissões em massa nas startups, dessa vez foi a vez da Daki anunciar os cortes. Desligando 30 funcionários nesta semana, as áreas afetadas, segundo o mercado, foram as de experiência do consumidor, finanças, marketing, operações, produtos e recursos humanos.

Na última sexta-feira (01), ainda, é dito que 16 funcionários da área corporativa foram demitidos da Daki.

Publicidade

Sobre a rodada de desligamentos na área executiva, o CEO e co-fundador da empresa, Rafael Vasto, afirmou que a decisão se trata de um conjunto de “pequenos ajustes pontuais de algumas posições”.

Publicidade

Daki atua, principalmente, na capital de São Paulo/Fonte: Divulgação Youtube – Daki

Além disso, o executivo disse que o movimento não impacta a operação da startup, reforçando o “objetivo de manter a melhor experiência de consumo de seus usuários”.

De acordo com a startup, seu time conta com um total de 250 funcionários em seus escritórios e cerca de 600 colaboradores em suas operações. Além disso, a Daki pretende encerrar o ano de 2022 com uma equipe de 1 mil profissionais.

Publicidade

Publicidade


Desde janeiro deste ano, é dito que a Daki dispensou 119 colaboradores. Desse total, 100 profissionais atuavam diretamente nas chamadas dark stores, centros de distribuição menores e estrategicamente distribuídos pelas cidades.

Publicidade

Atualmente, a companhia atua nas cidades de São Paulo, Campinas (SP), Rio de janeiro, Niterói (RJ) e Belo Horizonte (MG), com cerca de 90 dar stores.

Segundo o CEO da Daki, a empresa realiza ciclos de avaliação duas vezes ao ano, e as eventuais demissões podem ter feito parte desses processos. “O importante é que a gente não fez uma reorganização ou reestruturação de operação”, disse Vasto.

Publicidade

A startup se tornou um unicórnio em 2021/Fonte: Reprodução

A empresa de delivery surgiu em 2021, e ficou conhecida como a companhia brasileira a atingir mais rapidamente o status de unicórnio, isto é, quando uma startup é avaliada em mais de US$ 1 bilhão.

A marca foi atingida após a Daki realizar uma rodada de investimentos Série B, arrecadando a quantia de US$ 260 milhões (atualmente, o equivalente a R$ 1,377 bilhão). Nessa época, a Daki foi avaliada em US$ 1,2 bilhão.

Encerramento das atividades nos EUA

A startup surgiu em conjunto à uma companhia atuante nos Estados Unidos. Atuando como Daki na América Latina, a JOKR anunciou o encerramento de suas operações em solo norte-americano.

Com o objetivo de concentrar suas atividades na América Latina, a decisão foi divulgada no último dia 21 de junho. De acordo com o fundador e diretor global da empresa, Ralf Wenzel, o objetivo da JOKR era aumentar os investimentos na região de forma orgânica e “explorar outras oportunidades complementares”.


Suas operações nos EUA incluíam 9 centros de micro-atendimento, e a decisão afetou cerca de 50 colaboradores de seus 950 funcionários ao redor do mundo. Ela atuava, ainda, nas cidades de Boston e Nova York, onde era sediada.

Demissões em startups

As constantes altas nas taxas de juros e de inflação em todo o mundo têm pressionado o mundo das startups, que se viram em um cenário com menos investimentos e uma maior necessidade de reorganizar suas operações, com desligamentos frequentes de colaboradores.

Nesta terça-feira (5), foi a vez da Loft realizar uma rodada de demissões, desligando cerca de 12% do seu quadro de colaboradores. Este foi o segundo corte realizado pela companhia, atingindo 384 funcionários.

Os demitidos se uniram aos cerca de 2 mil profissionais desligados de 20 startups apenas neste ano, de acordo com o portal Layoffs Brasil.

Publicidade