Santander (SANB11) registra lucro líquido de R$ 3,12 bilhões no 3T22 e fica abaixo das expectativas

No comparativo com o 2T22, banco teve uma queda superior a 23%

Publicidade

Publicidade

O Santander Brasil (SANB11), divulgou na manhã desta quarta-feira (26), os seus resultados referentes ao terceiro trimestre. O banco, que está na lista dos mais tradicionais do país, registrou um lucro líquido positivo mais uma vez nos últimos três meses.

Apesar do resultado positivo, o banco frustrou as expectativas do mercado, que projetavam números maiores para o Santander entre os meses de julho e setembro. Em comparação com o 2T22, a margem de queda no lucro ficou em 23,5%.

Publicidade


Resultados do Santander

Entre os principais dados trimestrais divulgados pelo Santander ao mercado nesta quarta-feira está o lucro líquido da companhia, que foi de R$ 3,12 bilhões. Para o banco, este valor representa uma queda de cerca de 23,5% quando comparado ao período de abril a junho deste ano, quando obteve lucro superior aos R$ 4 bilhões.

Publicidade

No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o Santander teve R$ 13,8 bilhões de lucro, no entanto devido aos custos com impostos e tarifas, este valor está na casa dos R$ 11,2 bilhões nos nove primeiros meses de 2022. No comparativo com o mesmo período do ano passado, o lucro líquido caiu cerca de 10%.

Publicidade

Já com relação às margens financeiras, o Santander se apoiou principalmente pelo crescimento da margem com clientes ao longo deste trimestre, que de acordo com o banco foi positiva em virtude da maior seletividade de crédito e bom desempenho da margem de produtos. Com isso, o Santander somou entre julho e setembro, o montante de R$ 14,1 bilhões, um crescimento anual de 26,2%. 

Esse fator fez com que o impacto na margem financeira bruta fosse menor nesse trimestre. No 3T22 o Santander chegou a R$ 12,5 bilhões, equivalente a uma queda de 1,4% em comparação com o segundo trimestre de 2022 e no acumulado dos nove meses, a queda é de 5,2%.

Publicidade

Publicidade

No terceiro trimestre, o Santander também registrou um aumento com relação às despesas gerais na companhia. No total, o banco chegou a R$ 5,6 milhões em despesas, sendo que a maior parte desse montante corresponde às despesas administrativas, que totalizaram R$ 3,1 milhões e despesas com pessoal, que somaram R$ 2,5 milhões.

Outro ponto em que o Santander registrou crescimento em setembro deste ano foi no número de clientes, tanto os clientes ativos totais quanto os clientes digitais, que subiram para 31,5 milhões e 19,9 milhões, respectivamente.

Publicidade

Santander (SANB11) registra lucro líquido de R$ 3,12 bilhões no 3T22 e fica abaixo das expectativas
Estação Toro BH, parceria do Santander /Foto: Reprodução

Expansão de negócios

Nos últimos anos, o Santander vem de um processo de expansão dos seus negócios que tem possibilitado aos clientes da instituição novas oportunidades em virtude dessas parcerias.

O banco que registra cerca de 18 bilhões de transações por mês, tem lançado uma série de benefícios para os seus usuários nos últimos, entre elas o SX, solução do banco que funciona de forma integrada com o Pix, sistema de pagamentos e transferências criado pelo Banco Central. 

Publicidade

Além disso, a corretora Toro Investimentos, que foi comprada pelo Santander no ano passado, também registrou números positivos neste semestre com relação aos clientes totais. 

O crescimento da corretora foi de cerca de 85% com relação ao mesmo período do ano passado, chegando a um total de R$ 1,1 milhão de clientes ativos. O número de acessos únicos também cresceu 190%, subindo para a marca de 6,5 milhões de acessos por mês.

Ações após o resultado

Depois da divulgação do resultado do terceiro trimestre do Santander na manhã desta quarta-feira, o mercado reagiu negativamente aos papéis da instituição. As ações do banco recuaram cerca de 8% na Bolsa de Valores após o lucro abaixo do esperado. 

Às 13h04, os papéis do Santander caíam cerca de 5,79%, sendo negociados a R$ 28,31. O resultado faz com que a companhia seja responsável pela segunda maior baixa do Ibovespa nesta quarta-feira, até o momento, atrás somente da Magazine Luiza. 

Publicidade