Samsung habilitará sua carteira de criptomoedas no Brasil e em outros 7 países

Publicidade

Publicidade

A Samsung, empresa sul-coreana de tecnologia, anunciou que a partir do final de janeiro, usuários em oito países, incluindo o Brasil, Canadá e Austrália, poderão utilizar os serviços de carteira digital fornecidos pela Samsung Wallet.

A carteira digital, que já opera em mais de 13 países, permite que os usuários armazenem criptomoedas como Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH).

Publicidade

De acordo com Jeanie Han, vice-presidente executiva e chefe da equipe de carteira digital da empresa, a expansão do serviço para esses países é uma etapa importante para ampliar a disponibilidade da Samsung Wallet para comunidades e usuários potenciais.


Publicidade

O Brasil é um país de destaque nesta expansão, pois é uma das nações líderes em termos de adoção tecnológica e ecossistema de Bitcoin e criptomoedas.

Publicidade

Segundo dados da Chainalysis, empresa de blockchain e análise de segurança, o Brasil é atualmente o sétimo país do mundo com maior taxa de adoção de criptomoedas.

Isso torna o país como o segundo em todo o continente americano, atrás apenas dos Estados Unidos.

Publicidade

Publicidade

Samsung

Além disso, o Brasil já possui regulamentação para o setor de criptoativos, com a recente aprovação da lei do Bitcoin, que entrará em vigor este ano.

A Samsung Wallet é uma ferramenta segura que permite armazenar vários arquivos, senhas, passagens aéreas, cartões de identificação e ativos virtuais.

Publicidade


Ela utiliza a tecnologia Samsung Knox para garantir a segurança dos usuários e se integra ao Samsung Blockchain Wallet para gerenciar ativos criptográficos.

Publicidade

A carteira está atualmente disponível para vários dispositivos móveis e suporta Bitcoin, Ethereum e outros tokens ERC-20.

Em fevereiro de 2022, a empresa anunciou que a carteira foi reformada e aprimorada no lançamento da linha Galaxy S22, incluindo suporte para criptomoedas.

Desde 2019 a companhia faz incursão no universo das carteiras digitais. Naquela época , eles permitiam a transferência de BTC e ETH por meio do Samsung Blockchain Keystore SDK.

Publicidade