Reino Unido avança para regular criptomoedas

Publicidade

Publicidade

Mais um país está avançando para regular o mercado de criptomoedas. Trata-se do Reino Unido, que está finalizando os planos para um pacote de regras abrangentes para regular o setor.

De acordo com o Financial Times, as novas regras devem impor limites para empresas cripto estrangeiras que vendem para o Reino Unido.

Publicidade

Além disso, as diretrizes incluirão disposições sobre como lidar com o colapso de empresas e vão abordar restrições à publicidade de produtos.


Publicidade

Reino Unido quer regular setor ‘sem sufocar’ inovação

Ainda segundo a reportagem, os ministros do país devem lançar em breve uma consulta sobre o novo regime regulatório.

Publicidade

Depois que a exchange de criptomoedas FTX implodiu em novembro, muitos países estão correndo para regulamentar o setor. Mas o Reino Unido já está empenhando nisso há mais tempo.

A Autoridade de Conduta Financeira (FCA, na sigla em inglês) do país começou este ano a inspecionar os controles de lavagem de dinheiro das empresas de cripto com sede no Reino Unido.

Publicidade

Publicidade

Em julho deste ano, as autoridades do país anunciaram planos para criar uma “estrutura legal forte”. A ideia é apoiar a inovação e, ao mesmo tempo, ajudar o país a se tornar um hub de ativos digitais.

No mês de abril, o primeiro-ministro Rishi Sunak já havia dito que uma “regulamentação efetiva” ajudaria a tornar a Grã-Bretanha um centro global para tecnologia de criptoativos. Além disso, encorajaria as empresas a investir, inovar e se expandir no país.

Publicidade


O Reino Unido também foi um dos poucos países a alertar sobre a FTX antes mesmo do seu colapso. Em setembro deste ano, conforme noticiou o CriptoFácil, a FCA informou ao mercado que a exchange não tinha autorização para oferecer produtos e serviços no Reino Unido.

Publicidade

Diante disso, a FCA disse que as pessoas do Reino Unido, “visadas pela FTX”, provavelmente não receberiam o seu dinheiro de volta “se as coisas dessem errado”. E deram.

Publicidade