Quem é a pessoa que está na cédula do real?

A moeda brasileira já recebeu as mais diversas teorias sobre quem seria a efígie

Publicidade

Publicidade

Ao longo dos anos o Brasil teve diversas moedas oficiais e a cada governo que entrava, uma nova moeda era instituída, mas a grande dúvida da população, além de saber se a situação econômica do país iria funcionar, era quem estamparia a cédula e a moda nacional.

Por muitas vezes criou-se a dúvida: Quem é a mulher que está na cédula e na moeda do Real brasileiro? Houveram boatos que a princesa Isabel, seria a mulher que está na cédula e ganhou esse espaço, devido a seus enormes feitos e benfeitorias. 

Publicidade

Em outras especulações, mulheres dos anos 80 ou as revolucionárias do Brasil que lutaram pelo direito ao voto feminino, seriam as representadas nas cédulas brasileiras. A atriz Tônia Carrero foi uma das inspirações de Benedicto Rodrigues, designer das moedas nacionais, criando a efígie em 1970. Benedicto não confirmou em vida a inspiração, mas seus parentes sim.

Um artista brasileiro, Robson Lami, recriou em forma humana, a efígie da cédula do Real. O capixaba já criou a sereia do Starbucks, Mulan e até do Dollynho, Mônica, Naruto e alguns outros. Algumas pessoas logo disseram que parecia muito com a atriz Suzana Vieira.

Publicidade

Zona de segurança da cédula brasileira | Foto: Banco Central

O que se sabe oficialmente é que o nome da figura da nota é Marianne, batizada pelos soldados franceses e uma mescla de nomes populares no século 18, Marie e Anne. 

Publicidade

Curiosidade: Efígie é o nome que se dá para o Homem ou Mulher que estão estampados em uma cédula oficial de um país. Não existe uma pessoa específica denominada efígie, até uma figura pública. Desde que seja uma personificação da figura humana em uma nota de dinheiro, é colocada como nome de efígie. 

A mulher com louros na cabeça e muita atenção ao horizonte é uma incógnita para todos os brasileiros, uma figura inexiste e que foi apenas fruto de uma inspiração, poderia ser muito bem qualquer mulher desconhecida da década de 60.

Publicidade

Publicidade

O que não se pode negar é a autenticidade imposta pela moeda brasileira, já que o dólar leva apenas as imagens dos ex-presidentes da república. Algo que é proibido na constituição nacional, um ex-diplomata ser parte de uma cédula.

Cédula do Dólar é maior que a de qualquer Real | Foto: Exame

O Real

Publicidade

Mágico ano também quando Fernando Henrique Cardoso, ministro da fazenda (hoje ministério da economia), na gestão de Franco, instituiu o Plano Real, transformando 2.750 cruzeiros em 1 único real, revitalizando a economia, o Banco Central do Brasil determinou a substituição da moeda em todo território nacional.

Naquele período, o Brasil conseguiu se estabilizar e controlar a inflação existente, esta, que ainda existe até hoje, o Real já foi desvalorizado, mas não tanto quanto o Cruzeiro, semelhante ao Dólar, Euro e Libra, o Real ainda é uma moeda fraca, mas se sobressai diante de Yen, Pesos e Rúpias. Este feito, elegeu FHC à presidência do Brasil, o Real, Reais, ainda permanece como a moeda oficial do Brasil.

Publicidade

Artista criou a figura humana da efígie | Foto: Robson Lami

Em vários países, a efígie ou figura da República é a personificação do regime republicano e do próprio estado onde esse regime vigora. Geralmente, a imagem da República é representada por uma mulher. No Brasil, esse símbolo está impresso em todas as cédulas do Real (da Primeira e da Segunda Família) e também aparece cunhado na moeda de 1 real.

Todas as notas da Segunda Família do Real têm as legendas “República Federativa do Brasil”, na frente, e “Banco Central do Brasil”, no verso. Na frente, na lateral direita da efígie da República, encontrava-se uma inscrição com a frase “Deus seja louvado”. Proibida em novas impressões da Casa da Moeda em 2008.

Existem cédulas de R$ 2, R$ 5, R$ 10, R$ 20, R$ 50 e R$ 100, A cédula de R$ 200 foi lançada em 2020 e até 2022 a sua circulação deverá ser extinta.

Publicidade