Para presidente do BC, cartão de crédito vai deixar de existir em breve

Publicidade

Publicidade

O presidente do BC (Banco Central do Brasil), Roberto Campos Neto, disse na última sexta-feira (12) que as inovações no mercado financeiro devem fazer com que o cartão de crédito deixe de existir “em algum momento em breve”.

A fala de Campos Neto foi proferida em um evento online sobre criptoativos. Ele acredita que com um sistema financeiro aberto, como o “Open Finance”, certos padrões de hoje em dia mudarão, como o uso do cartão de crédito, por exemplo.

“Esse sistema consolidado elimina a necessidade de ter cartão de crédito. Eu acho que o cartão de crédito vai deixar de existir em algum momento em breve.”

Publicidade

Portanto, durante sua participação, o presidente do Banco Central do Brasil (BC), falou sobre a Inovação no Sistema Financeiro Nacional.


Publicidade

Ideias para o futuro

Contudo, antes ele passou sua visão de como idealiza o sistema financeiro do futuro. De acordo com esta explicação, Campos Neto diz sobre a compilação de várias modalidades de transação financeira em um só aplicativo, sob o nome de “sistema integrador”.

Publicidade

“Eu acho que em algum momento você vai pegar o seu celular, abrir, e vai ter um integrador que vai montar toda a sua vida financeira virtual e física no mesmo lugar”

Na palestra, Campo Neto cita a possibilidade de agregar transações PIX, criptoativos e de dinheiro, físico ou virtual, cada um com sua própria carteira, no entanto, consolidados no mesmo aplicativo.

Publicidade

Publicidade

Presidente do BC fala desde PIX até Criptomoedas

A princípio, em sua fala, o Presidente do BC enaltece o PIX e sua extensão. Para ele, o sistema de transferência de dinheiro é um sucesso, com seu volume de transações crescendo cada vez mais.

Segundo falado por Campos Neto, no último dia 5, “90 milhões de negócios” foram efetuados via PIX. Todavia, ele também afirmou que o sistema já conta com 478 milhões de chaves registradas em todo o Brasil.

Publicidade

Relativo à regulamentação das criptomoedas, Campos Neto comentou:  “Eu acho que a gente vai acabar indo por um caminho um pouco diferente dos outros países… Eu tenho a sensação que primeiro vai ser difícil; segundo, vai escapar para o mundo não regulado — quanto mais você forçar mais difícil vai ser de o regulador ver o que está acontecendo. E o pior ponto é afastar o mundo descentralizado. Eu acho que a gente tem que estar no outro jogo”


Publicidade

Além disso, o presidente ainda falou sobre criptoativos, tokenização, stablecoins, NFTs e metaverso. Enfim, ele ainda ressaltou sua preocupação com a falta de segurança na gestão de ativos digitais e destacou que “a parte do algoritmo deve ser transparente”.

Nesse sentido, ao se referir à centralização da custódia dos ativos digitais, no caso, das corretoras de criptomoedas, afirmou: “hoje a gente tem 80% dos criptoativos custodiados em mais ou menos quatro empresas.”

*Com Criptonizando.

Publicidade

O melhor conteúdo de negócios e economia no Brasil, de graça para você.

Cadastre-se para ter acesso a este conteúdo, é totalmente de graça!

Ao se cadastrar, você concorda com o compartilhamento de seus dados com a Estoa, e com os Termos de Uso , incluindo o uso de cookies e o envio de comunicações