OCDE reduz estimativa de crescimento da economia global para 2023

Organização acredita em uma nova aceleração a partir de 2024

Publicidade

Publicidade

Nesta terça-feira (22), a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou mais um relatório analisando o cenário global e traçando as estimativas com relação ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) mundial.

A OCDE inclusive reduziu as suas estimativas de crescimento para 2022, assim como para 2023, esperando que o cenário comece a se normalizar a partir de 2024 quando deve haver novamente uma aceleração.

Publicidade


Reduções do PIB global

De acordo com o que foi divulgado pela OCDE no seu relatório econômico, em 2022 o PIB global deve fechar o ano na casa dos 3,1%, o que significa um nível muito abaixo do que foi projetado pela entidade no final do ano passado, quando estimava um crescimento de 4,5%.

Publicidade

Essa desaceleração na economia global fará com que o indicador fique muito abaixo em comparação com o que foi registrado em 2021. À época o PIB mundial ficou em 5,9%. Um dos principais motivos para essa queda tem sido os conflitos entre Rússia e Ucrânia, que estão desencadeando uma crise energética na Europa.

Publicidade

O cenário de desaceleração tende a ficar ainda mais grave em 2023, segundo as estimativas da OCDE. O crescimento que no final de 2021 era projetado para ser de 3,2% também sofreu uma redução e agora a entidade espera que a economia global cresça cerca no patamar modesto de 2,2%.

As previsões dão conta de que a economia mundial só deverá retomar o seu crescimento a partir de 2024, quando o PIB deve subir ligeiramente e ainda acima da média para 2,7%.

Publicidade

Publicidade

De acordo com o documento, em meio a desaceleração da economia para o próximo ano é esperado que o crescimento do PIB global dependa principalmente do desempenho dos mercados emergentes da Ásia, tendo em vista as dificuldades de Estados Unidos e Europa em meio a inflação altíssima.

A Europa inclusive será a mais afetada na visão da OCDE pela desaceleração da economia em 2023. Com a chegada do inverno no continente já em dezembro é esperado que a crise energética se agrave ainda mais em virtude dos preços de energia.

Publicidade

O julgamento da OCDE leva em consideração principalmente os impactos do conflito Rússia-Ucrânia que está afetando o continente na questão da energia como também na atividade comercial.

Em virtude disso, a entidade aponta que a economia da zona do euro sofrerá uma das maiores desacelerações do ano. Com isso, os países que compartilham do euro como moeda oficial verão a economia encolher de 3,3% para 0,5% em 2023. O cenário de expansão pode voltar em 2024 com um aumento para 1,4%.

Publicidade

Projeção da OCDE para o Brasil

O documento divulgado pela OCDE também trouxe a projeção da entidade com relação ao Brasil e ao contrário do que aconteceu com os países europeus, a previsão para o PIB brasileiro aumentou significativamente.

OCDE reduz estimativa de crescimento da economia global para 2023
Projeção da OCDE é positiva para o Brasil /Foto: Reprodução

Na última estimativa divulgada pela organização, em junho, a projeção de crescimento do PIB do Brasil era de apenas 0,6%, mas agora no novo documento esse número aumentou para 2,8%.

A OCDE também projetou no seu relatório os dados para a atividade econômica em 2023 e 2024. Para o próximo ano a organização manteve a sua estimativa de 1,2%, enquanto para o ano seguinte, é esperada uma leve melhora, indo para 1,4%. A média mundial para o ano está estimada em 2,7%.

Ainda que o PIB do Brasil esteja com uma estimativa de crescimento abaixo da média mundial (0,8%), é esperado que em 2023 o país tenha um avanço maior do que os Estados Unidos e a zona do euro somados, 0,5% cada.

Publicidade