“Não vejo nenhuma razão para criptomoedas existirem”, diz senador dos EUA

Publicidade

Publicidade

Jon Tester, senador dos Estados Unidos pelo partido Democrata, afirmou que não vê “nenhuma razão para as criptomoedas existirem”. De acordo com o senador, que falou em entrevista ao apresentador Chuck Todd, as criptomoedas “não passaram no teste do cheiro para mim”.

O senador democrata, que atua no Comitê de Bancos, Habitação e Assuntos Urbanos do Senado, comentou a deserção da senadora democrata Kyrsten Sinema, que virou independente. Mas o assunto da entrevista acabou indo para as criptomoedas.

Publicidade

Durante a sua fala, Todd explicou a Tester sobre o mercado de criptomoedas e suas inovações, e perguntou a opinião do senador sobre o mercado. “Você usou uma linguagem colorida para descrever as criptomoedas”, disse o senador.

Em seguida, Todd perguntou se o governo deveria estar regulamentando ou proibindo as criptomoedas. A resposta de Tester não foi conclusiva. “(Deveria fazer) Um ou outro”, respondeu.

Publicidade

“Não significa nada”

Fazendeiro e professor de Montana que se tornou senador dos EUA, Tester afirmou que estudou sobre as criptomoedas. Só que ele afirmou que não conseguiu entender a utilidade desses ativos

Publicidade


“Não consegui encontrar ninguém que pudesse me explicar o que há além de sintéticos. E mesmo assim, isso não significa nada. O problema é que se o regularmos, pode dar a capacidade das pessoas de pensarem que é real”, disse.

Publicidade

Publicidade

Em outras palavras, o senador afirmou que não vê razão para as criptoativos existirem, e por isso não deveria haver regulamentação. No entanto, Tester não defendeu diretamente a proibição dos estadunidenses negociarem.

Tester afirmou que não é um regulador nem quer fazer esse papel, mas ao participar do comitê bancário do Senado, ele tem influência como parte de um dos principais órgãos de tomada de decisão que atualmente debatem como – se não se – regular a indústria de criptografia atualmente sitiada.

Publicidade

“O senador Tester traz uma perspectiva rural a este comitê para garantir que as leis e políticas funcionem para pequenos bancos, cooperativas de crédito, pequenas empresas e consumidores na América rural”, diz seu site.

O senador Tester não tem vergonha de sua aversão às criptomoedas, dizendo à Semafor na semana passada: “É tudo besteira”.

Publicidade

Agenda democrata na regulamentação

Passadas as eleições de meio de mandato nos EUA em novembro, os senadores democratas se reagruparam na agenda do comitê bancário. De acordo com um relatório da Roll Call, os líderes do partido resolveram mirar a regulamentação de criptomoedas.


Nesse sentido, o partido atacou a Lei de Proteção ao Consumidor de Commodities Digitais (DCCPA), um dos projetos de regulamentação. A DCCPA tornaria a Comissão de Negociação de Futuros e Commodities (CFTC) a principal autoridade para a regulamentação de criptomoedas dos EUA.

O motivo do bloqueio é o seu vício de origem, já que a lei recebeu apoio de Sam Bankman-Fried (SBF), ex-CEO da FTX. Mas o mercado suspeita que SBF agiu em conluio com congressistas para criar uma lei que favoreça a FTX.

De acordo com a Roll Call, o senador Tester alertou contra dar legitimidade adicional à criptomoeda e se opôs ao fato de a DCCPA foi apresentada no Comitê de Agricultura, Nutrição e Florestas do Senado, onde o senador republicano do Arkansas, John Boozman, atua como membro do ranking.

Publicidade