Mubadala anuncia desistência da aquisição da Zamp (BKBR3) e ações despencam

As negociações começaram há cerca de dois meses

Publicidade

Publicidade

Na manhã desta sexta-feira (23), a Zamp (BKBR3) anunciou que o fundo Mubadala, soberano nos Emirados Árabes, retirou sua oferta de compra da empresa que é controladora do Burger King e Popeyes no Brasil.

De acordo com o fundo, a desistência do negócio decorre da revelação tardia de alguns pontos contratuais por parte da companhia controladora mundial das marcas, a Restaurant Brands International (RBI).

Desistência

Publicidade

A retirada da oferta de compra foi anunciada pela Zamp na manhã desta sexta-feira em Fato Relevante. 


Publicidade

No documento, a empresa controladora do Burger King e Popeyes no Brasil afirmou que a revogação da oferta de compra foi informada em uma correspondência anexa.

Publicidade

Mubadala é um fundo bilionário dos Emirados Árabes/Foto: wam.e

De acordo com o fundo soberano nos Emirados Árabes, a desistência do negócio é fruto de um impasse com a empresa controladora mundial das marcas, que revelou apenas no dia de ontem (22) pontos contratuais que faziam com que a compra fosse impedida.

O Mubadala destaca, ainda, a “não obtenção de confirmação, pela Restaurant Brands International (RBI), de que o sucesso da Oferta não implicaria a resilição ou qualquer alteração dos termos e condições dos contratos de franquia e dos contratos de licenciamento de marcas”.

Publicidade

Publicidade

Para o RBI, no entanto, o fundo poderia quebrar cláusulas estabelecidas em contrato que, dessa forma, poderiam impedir o andamento dos negócios. Isso pois o Mubadala possui participação em outras empresas que também possuem franquias de restaurantes.

Assim, considerando a resposta tardia da controladora mundial e a conclusão apresentada, o Mubadala entendeu que não seria possível “prosseguir com a realização da Oferta, em razão da verificação de Condições para Modificação ou Revogação da Oferta previstas no Edital”.

Publicidade

Por fim, o fundo manifestou, junto aos acionistas da Zamp, uma reação de surpresa acerca do posicionamento da RBI.

RBI é a controladora mundial do Burger King e Popeyes/Foto: Mango Mikes

“A Ofertante e os demais acionistas da Zamp foram surpreendidos com uma verdadeira poison pill, até então oculta, que sujeita a aquisição do controle da Companhia à discricionariedade da Master-Franqueadora, a partir de supostas “restrições à transferência e cessão” e “obrigações

Publicidade

de não concorrência” jamais informadas e cujo teor é desconhecido pelo mercado”.

Oferta de compra

No início de agosto deste ano, o Mubadala havia estabelecido o preço de R$ 7,55 para a aquisição da empresa controladora do Burger King e Popeyes no Brasil. Há cerca de uma semana, porém, a oferta havia sido aumentada para R$ 8,31.

Na época, a proposta iria vencer no dia 26 de setembro e o fundo árabe já havia solicitado um posicionamento acerca das cláusulas contratuais estabelecidas pela controladora mundial das marcas.


“Reiteramos que é essencial que a companhia informe, até 22 de setembro de 2022, se nos termos dos contratos, a aquisição do controle da pela ofertante permite a rescisão dos contratos pela Master-Franqueadora ou implica em alteração de seus termos e condições, e, caso positivo, e se, em caso de sucesso da oferta, a Master Franqueadora exercerá o direito de rescindir ou modificar os contratos”, estabeleceu o Mubadala.

Na época, a Zamp afirmou crer que o negócio não levaria a algum tipo de modificação ou a rescisão direta do contrato, mas não saber se a RBI concordaria com o Conselho de Administração da controladora brasileira.

Ações da Zamb despencam

Depois de anunciar a retirada da oferta de compra por parte do fundo árabe, as ações da Zamb (BKBR3), controladora das marcas no Brasil, despencaram nesta sexta-feira (23).

Seus papéis somaram às 14:54 horas (Horário de Brasília) uma queda de 9,34%, atingindo os R$ 6,60. Às 14:30, no entanto, seus ativos somaram a maior desvalorização, caindo em 9,75%.

Apesar disso, as incertezas acerca da operação também pressionaram as ações da Zamb nesses cerca de dois meses de negociação: em um mês, a queda atingiu os 25%.

Publicidade

O melhor conteúdo de negócios e economia no Brasil, de graça para você.

Cadastre-se para ter acesso a este conteúdo, é totalmente de graça!

Ao se cadastrar, você concorda com o compartilhamento de seus dados com a Estoa, e com os Termos de Uso , incluindo o uso de cookies e o envio de comunicações