Meta (M1TA34) anuncia demissão de 11.000 funcionários

Mark Zuckerberg disse em comunicado que lamenta demissão do quadro de funcionários da empresa e assume total responsabilidade

Publicidade

Publicidade

A empresa de tecnologia e mídia social, Meta (M1TA34) anunciou, nesta quarta-feira (09), que eliminará 13% do seu quadro de funcionários, o equivalente a 11.000 cortes. 

O número de cortes do quadro de funcionários é considerado como um dos maiores em meio às demissões realizadas pelas empresas de tecnologia norte-americana, nas quais enfrentam grandes dificuldades relacionadas aos custos. 

A demissão em massa na Meta 

Publicidade

Na segunda-feira (07), O jornal The Wall Street Journal, publicou uma matéria dizendo que a Meta havia comunicado mais de 87 mil funcionários sobre as demissões, pedindo para que cancelassem planos ou viagens para essa semana.  

O presidente executivo da Meta, Mark Zuckerberg, disse em um trecho de seu comunicado que: “A desaceleração macroeconômica e o aumento da concorrência fizeram com que nossa receita fosse muito menor do que eu esperava”.

Publicidade


Publicidade

A meta é a segunda empresa a realizar uma demissão em massa, neste mês. Com a compra da rede social, realizada pelo empresário Elon Musk, o Twitter (TWTR34) 

demitiu na sexta-feira (04), cerca de 7,5 mil funcionários do seu quadro. Outras empresas de tecnologia também anunciaram demissões em massa.

Publicidade

Publicidade

Algumas dessas empresas de tecnologia ainda não determinaram uma data para as demissões, entretanto já confirmaram que o corte pode acontecer ainda no mês de novembro.

Presidente executivo da Meta, Mark Zuckerberg  Créditos: Reprodução

A queda nos lucros 

De acordo com a agência de notícia, Reuters, a Meta teve uma queda de dois terços em suas ações, deste modo a empresa de tecnologia e mídias sociais, divulgou que pretende congelar  as contratações até o primeiro trimestre de 2023.

Publicidade

O lucro da Meta caiu em  52% no resultado financeiro do terceiro trimestre de 2022, sendo assim ficando com um valor de US$ 4,4 bilhões, menor do que no mesmo trimestre em 2021. 

O metaverso 

Alguns investidores da Meta, não concordaram com o anúncio de gastos da empresa  em relação a criação do Metaverso, sendo assim o Reality Labs, unidade de metaverso, resultou em perdas de US$ 9,44 bilhões em receita, somando-se aos US$ 10 bilhões do ano passado. 

Publicidade

“Olha, eu sei que muita gente pode discordar desse investimento. Mas, pelo que posso dizer, entendo que isso vai ser uma coisa muito importante e acho que seria um erro não focarmos em nenhuma dessas áreas”, afirmou Zuckerberg sobre os gastos com o Metaverso. 

Alguns analistas apontam que os gastos com a nova tecnologia, também pode ser um dos grandes motivos que tenha causado as demissões em massa na  empresa de tecnologia e mídia sociais, já que o investimento ainda não trouxe lucros para a Meta.

Representação do Metaverso Créditos: Freepik

O comunicado de Mark Zuckerberg

Em seu comunicado para os funcionários, Zuckerberg disse que lamenta ter que demitir grande parte do seu quadro de funcionários: “Eu vejo as demissões como um último recurso, então decidimos controlar outras fontes de custo antes de deixar os companheiros de equipe irem. No geral, isso vai somar a uma mudança cultural significativa na forma como operamos”. 


Sobre o futuro da empresa, o presidente executivo disse que:  “Eu vejo as demissões como um último recurso, então decidimos controlar outras fontes de custo antes de deixar os companheiros de equipe irem. No geral, isso vai somar a uma mudança cultural significativa na forma como operamos”.

Mark Zuckerberg finalizou agradecendo todos os funcionários que colaboram com a empresa: “Compartilharemos mais sobre como operaremos como uma organização simplificada para alcançar nossas prioridades nas próximas semanas. Por enquanto, direi mais uma vez o quanto sou grato àqueles que estão partindo por tudo que fizeram para avançar nossa missão”.
Por mais que a empresa tenha anunciado as demissões, as ações da Meta não caíram na bolsa de valores de São Paulo, às 15:14, as ações da empresa de tecnologia e mídia social estavam em 7,49%.

Publicidade