Weg (WEGE3) investe para produzir o maior aerogerador do país com 7 MW de potência

Empresa catarinense pretende aumentar ainda mais a sua área de atuação no Brasil

Publicidade

Publicidade

A Weg (WEGE3) anunciou nesta segunda-feira, (4), que irá produzir no seu parque fabril de Jaraguá do Sul (SC), uma nova plataforma de aerogeradores para garantir mais eficiência em projetos eólicos.

Com o novo lançamento previsto para ser instalado em 2024, a fabricante catarinense terá no seu portfólio a partir do ano seguinte o maior aerogerador em atuação no Brasil, com 7 megawatts de potência e 172 metros de diâmetro de rotor.

Publicidade


Atualmente a Weg já opera diversas unidades fabris espalhadas pelo país. Além de atuar no seu estado de origem, a fabricante também está presente com parques fabris nos estados do Amazonas, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Publicidade

Maior aerogerador brasileiro

A empresa utilizará parte das suas instalações já existentes no estado de Santa Catarina no parque fabril de Jaraguá do Sul, onde atualmente fabrica os aerogeradores de 4,2 MW da companhia. 

Publicidade

No entanto, com a fabricação dos novos protótipos de aerogeradores se iniciando nos próximos anos, a Weg terá em suas mãos a maior máquina em operação no mercado brasileiro, fazendo com que a fabricante tenha um modelo capaz de gerar melhores rendimentos.

Weg (WEGE3) investe para produzir o maior aerogerador do país com 7 MW de potência
Weg trabalhava no país com a produção de aerogeradores de 4,2 MW até então /Foto: Saneamento Ambiental

De acordo com a empresa, a expectativa com a nova plataforma para a produção de aerogeradores mais potentes é poder aliar competitividade com confiabilidade e facilidade de operação e manutenção.

Publicidade

Publicidade

Esse investimento poderá fazer com que a Weg crie novas oportunidades de negócios para os seus clientes, não só aqui no Brasil a partir do momento em que a produção se iniciar, mas também no exterior. 

O fator externo para a Weg tem grande relevância, principalmente por causa da sua atuação em outros países. A empresa possui em operação atualmente unidades fabris em nove países (Argentina, Alemanha, Áustria, África do Sul, China, Estados Unidos, Índia, México e Portugal).

Publicidade

Na localização escolhida para serem fabricados os novos aerogeradores da companhia, a Weg conta também com um centro de operações eólico para realizar o controle, monitoramento e análise da sua frota brasileira.

A empresa iniciou as operações do seu aerogerador de 4,2 MW em Jaraguá em março deste ano após concluir a fabricação do seu projeto. No local, a Weg também trabalha com softwares que empregam Inteligência Artificial e análises avançadas para detectar possíveis deficiências causadas pelo clima.

Publicidade

Funcionalidade

Um dos diferenciais prometidos pela Weg para o novo projeto da companhia que iniciará as suas operações a partir de 2024 é o atendimento a outros mercados que não os habituais atendidos pelos aerogeradores atuais.


A tecnologia presente no novo modelo garantirá para a Weg uma capacidade de adaptação aprimorada, garantindo um fornecimento de energia elétrica mesmo em situações em que não haja vento.

Segundo a própria empresa, o modelo facilitará a logística dos seus componentes, por possuir uma torre mais alta e uma montagem mais simples capaz de garantir instalações até mesmo em locais de relevo acidentado.

WEG fornece aerogeradores

Além de estar expandindo a sua atuação nas suas próprias unidades fabris e projetando lançar o maior aerogerador para operar no Brasil nos próximos anos, a Weg recentemente assinou um contrato para fornecer algumas unidades.

Weg (WEGE3) investe para produzir o maior aerogerador do país com 7 MW de potência
Sede da Eletrosul, empresa que a Weg forneceu 72 aerogeradores /Foto: Divulgação/Eletrosul

Em um acordo feito com uma subsidiária da Eletrobras, a CGT Eletrosul, a Weg garantiu o fornecimento de 72 aerogeradores de 4,2 MW para a empresa que trabalha com parques eólicos na região Sul do Brasil.

No contrato está estabelecido que além do fornecimento de aerogeradores, a Weg também cuidará da parte de logística, montagem e comissionamento, garantindo também a manutenção e serviços de operação enquanto o projeto durar.

No total, para a instalação dos mais de 302 MW no Parque Eólico Coxilha Negra, no Rio Grande do Sul, que está prevista para ser entregue a partir de 2023, serão gastos R$ 2,1 bilhões entre equipamentos e serviços.

Publicidade