Mastercard se une à Paxos para ajudar bancos a oferecer negociação de criptomoedas

Publicidade

Publicidade

A empresa de pagamentos Mastercard está se lançando ainda mais no mercado cripto. Dessa vez, a companhia se uniu à Paxos, plataforma de blockchain, para ajudar bancos a oferecer serviço de negociação de ativos digitais.

De acordo com uma reportagem da CNBC, publicada nesta segunda-feira (17), a gigante de pagamentos planeja anunciar o novo programa com foco nos bancos ainda hoje.

Publicidade

Na prática, a Mastercard vai atuar como uma “ponte” entre o banco e a Paxos, que já é parceira de instituições como PayPal e Mercado Livre.


Publicidade

Além disso, a Mastercard vai lidar com a parte de conformidade e de segurança das operações. Essas são as duas principais preocupações dos bancos envolvendo esses ativos.

Publicidade

Negociação de criptomoedas para bancos

Conforme destacou à CNBC o diretor digital da Mastercard, Jorn Lambert, apesar da queda de preços e esfriamento do mercado, as pesquisas ainda mostram uma forte demanda pelo ativo.

Contudo, a maior parte dos entrevistados (cerca de 60%) disse que preferem testar os ativos digitais por meio de bancos existentes.

Publicidade

Publicidade

“Há muitos clientes por aí que estão de fato interessados ​​nisso e intrigados com as criptomoedas. Mas eles se sentiriam muito mais confiantes se esses serviços fossem oferecidos por suas instituições financeiras”, disse ele. “Ainda é um pouco assustador para algumas pessoas.”

O diretor também destacou que o “inverno cripto” é algo temporário e vai passar à medida que a regulação chegar:

Publicidade

“Seria míope pensar que um pouco de inverno cripto anuncia o fim – não vemos isso”, disse ele.

“À medida que a regulamentação chegar, haverá um maior grau de segurança disponível para as plataformas de criptoativos e veremos muitos dos problemas atuais sendo resolvidos nos próximos trimestres.”

Publicidade

Foco em regulação e conformidade

Ainda segundo Lambert, o plano da empresa é manter os bancos dentro da regulação do setor de cripto e, ao mesmo tempo, fazer com que sigam as regras de conformidade.

Para isso, a empresa vai fornecer serviços contra a lavagem de dinheiro e o monitoramento de identidade. O executivo afirmou que a Mastercard vai realizar testes do produto no primeiro trimestre de 2023. Em seguida, vai expandir de forma gradual.


Vale destacar que a Mastercard lançou no início de outubro uma solução que visa combater fraudes com cripto. Conforme noticiou o CriptoFácil, o novo software vai ajudar os bancos a identificar transações de exchanges propensas a fraudes.

A ferramenta “Crypto Secure” foi desenvolvida pela startup de segurança em blockchain CipherTrace, adquirida pela Mastercard no ano passado.

Publicidade