Ibovespa sofre queda recorrente e é pressionado por ações da Vale (VALE3)

O principal índice da bolsa de valores volta a recuar, e o mercado sofre volatilidade por conta das eleições

Publicidade

Publicidade

Nesta sexta-feira (28), o Ibovespa, principal índice da bolsa de valores, recuou 0,30%, aos 114.296 pontos, por volta das 14h (horário de Brasília), pressionado por ações da Vale (VALE3). Além da baixa no minério de ferro e volatilidade do mercado à espera das eleições. 

O Ibovespa havia apresentado um resultado positivo na última quinta-feira (27), com 1,66%, a 114.640,76 pontos, após cair nos três pregões anteriores, acumulando queda de quase 6%.

Publicidade

A Vale, por sua vez, divulgou em seu último balanço corporativo também nesta quinta-feira, os resultados obtidos entre os meses de julho a setembro, mostrando um lucro líquido de R$ 23,286 bilhões (US$ 4,4 bilhões).


Publicidade

A mineradora apresentou um aumento que superou as expectativas dos analistas de 5 bancos, que chegaram a um consenso de um lucro líquido na casa dos US$ 2,5 bilhões, significando uma queda de 35,6% comparado ao 3T21.

Publicidade

No entanto, no setor de mineração e siderurgia, houve um resultado bastante negativo, com queda do minério de ferro na Ásia e decepção com resultado da mineradora no terceiro trimestre. “Um trimestre para esquecer”, afirmou o BTG Pactual (BVMF:BPAC11). 

Reações do mercado diante do cenário político

Diante da disputa acirrada entre os candidatos à presidência, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), o mercado financeiro segue ajustando suas posições para o desfecho das eleições. As principais pesquisas mostram o petista à frente do atual presidente.

Publicidade

Publicidade

De acordo com Alberto Ramos, diretor de pesquisa macroeconômica para América Latina do Goldman Sachs (NYSE:GS), o próximo presidente provavelmente terá que lidar com um dos parlamentos mais independentes em décadas e os partidos centristas provavelmente estabelecerão alguns limites políticos.

“Espera-se que os mercados financeiros reajam positivamente aos sinais de paz social, estabilidade política e políticas e reformas que alavancariam o investimento e o crescimento e deixariam para trás um longo período de crescimento muito modesto e condições sociais e econômicas estagnadas”, afirmou.

Publicidade

De acordo com Ramos, entre o primeiro trimestre de 2011 e o segundo trimestre de 2022, o crescimento médio real do PIB per capita foi zero (-0,01%) e a despesa real de investimento ainda está 10,7% abaixo do nível do segundo trimestre de 2013.

Balanço trimestral das empresas/Foto: Reprodução

Destaques dos principais balanços divulgados 

Os transportes aéreos da Gol (GOLL4) subiram em 39%, entretanto ainda não superaram a porcentagem apresentada no terceiro trimestre de 2019, antes da pandemia de Covid-19, ficando 29% abaixo do volume anterior.

Publicidade

Em pesquisas realizadas pela BB Investimentos, a Gol apresentou um resultado positivo na recuperação da demanda. A companhia de linhas aéreas apresentou um resultado positivo líquido, com R$4 bilhões na temporada de balanços do terceiro trimestre de 2022, apresentando uma alta de 109%. 

A Vivo (VIVT3) apresentou uma alta de 10,6% em sua receita operacional líquida na comparação anual, seu lucro líquido  aumentou ao longo do 3T22, atingindo os R$ 1.436 bilhão. Isso representa uma alta ante o 2T22, quando a empresa registrou R$ 746 milhões, e um crescimento de 9,3% em relação ao mesmo período do ano passado.


Suzano (SUZB3) avançava 1,47%, a 53,9 reais, tocando uma máxima intradia desde março no melhor momento, após reportar lucro líquido de 5,45 bilhões de reais no terceiro trimestre, revertendo resultado negativo registrado um ano antes, em desempenho acima do esperado. Executivos da companhia também afirmaram estar otimistas sobre preços no curto prazo. No setor, KLABIN UNIT (BVMF:KLBN11) subia 2,14%.

Durante o período de julho a setembro, a Ambev (ABEV3) registrou uma Receita Líquida de R$ 20,5 bilhões, representando um aumento de 11,3% em comparação aos R$ 18,4 bilhões apresentados durante o terceiro trimestre do ano passado.

O lucro líquido da Ambev diminuiu, atingindo os R$ 3,21 bilhões no 3T22. Isso representa uma baixa de 13,4% ante o 3T21, mas um crescimento em relação ao segundo trimestre deste ano, quando registrou lucro de R$ 3 bilhões.

Publicidade