Google investirá US$ 1,2 bi na América Latina em busca de melhorias

Companhia utilizará o montante em um espaço de cinco anos para melhorar seus serviços

Publicidade

Publicidade

O Google anunciou nesta quinta-feira, (9), durante a 9ª edição da Cúpula das Américas que irá investir por volta de US$ 1,2 bilhão em recursos para melhorar os seus serviços nos próximos cinco anos.

Durante o anúncio feito em Los Angeles nesta manhã, o CEO da companhia, Sundar Pichai afirmou que a companhia garantirá que a América Latina receba esse investimento para que seja possível trazer melhorias em quatro áreas da empresa.

Publicidade

A empresa comandada pela Alphabet também tem cinco metas estabelecidas para os próximos anos, em busca de impulsionar novamente as atividades pós pandemia com o intuito de se recuperar economicamente.

Google na América Latina

No anúncio que ocorreu hoje na Cúpula das Américas, Pichai abordou alguns tópicos para explicar como esse montante será dividido e com quais objetivos eles serão usados nos próximos anos.

Publicidade

A ideia para poder melhorar a atuação da empresa na América Latina envolve melhorias nas áreas de infraestrutura digital, capacitação em habilidades digitais, empreendedorismo e comunidades inclusivas.

Publicidade


Com esses novos investimentos nesta região, o Google imagina que seja possível chegar a um impacto econômico superior a US$ 1,3 trilhão até 2030, levando em consideração as seis maiores economias da América Latina (Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru).

Publicidade

Publicidade

Caso a companhia, de fato, consiga gerar esse impacto exposto em relatório na economia da região, esse número seria o equivalente a 23% do Produto Interno Bruto (PIB) desses seis países somados.

Projetos

Entre os novos investimentos anunciados pelo Google durante a Cúpula está a construção do cabo submarino Firmina que ligará a América do Norte e a América do Sul e se tornará o maior do mundo. 

Publicidade

Google lançará o maior cabo submarino do mundo /Foto: Tecnoblog

A interligação entre os dois continentes feita entre a costa leste dos Estados Unidos e o litoral da Argentina terá o intuito de melhorar a conectividade e acesso aos produtos da companhia.

Além disso, a comunicação que será iniciada a partir de 2023 conta com paradas em outros dois pontos: Praia Grande (SP) e Punta del Este, no Uruguai. Este será o quarto cabo submarino da companhia na região.

Publicidade

A empresa conta também com um cabo Júnior que conecta as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Os outros trabalham com distâncias maiores: Tannat (Santos a Maldonado, no Uruguai), Curie (Los Angeles a Valparaíso, no Chile) e Monet (Boca Raton, na Flórida até Santos). Este último ainda conta com uma parada em Fortaleza.

Além do Firmina, a instituição também quer investir em bolsas para Certificado de Carreira do Google. Entre os anos de 2023 e 2026, a companhia pretende oferecer por volta de 1 milhão destas bolsas, independente do nível de escolaridade das pessoas.

Investimentos no Brasil

Os investimentos divulgados por Sundar Pichai não dizem respeito em sua totalidade apenas a América Latina como um todo, existem alguns projetos que foram especificados pelo executivo de que estarão em funcionamento aqui no Brasil já no decorrer dos próximos meses.

Google Wallet chegará a América Latina /Foto: SlashGear

Um destes projetos que serão lançados no país é o Google Wallet, o aplicativo trará a possibilidade de reunir dados de pagamentos, documentos pessoais e passagem de transportes públicos em um só lugar, tornando-se uma atualização para o serviço já existente da companhia, o Google Pay.

O aplicativo que foi lançado em maio nos Estados Unidos tem previsão de chegar ao Chile ainda neste segundo semestre. Entre os investimentos em solo brasileiro, também está a ampliação da equipe do Centro de Engenharia do Google na América Latina. 


O local com sede em Belo Horizonte atua com o foco em segurança e privacidade.

O Google se comprometeu também a investir parte deste montante (US$ 300 milhões) para apoiar ONGs com foco em sustentabilidade e criação de oportunidades para jovens, mulheres e grupos minoritários. 

A operação será feita por meio do Google.org, seu braço filantrópico. O investimento será dividido em duas partes, sendo a primeira em dinheiro (US$ 50 milhões) e a segunda em publicidade (US$ 250 milhões).

Publicidade