“Ethereum killers” acumulam perdas superiores a 70% em 2022

Publicidade

Publicidade

Durante o último ciclo de valorização das criptomoedas, diversas blockchains se candidataram ao posto de “Ethereum killer”, isto é, a criptomoeda que retiraria o Ethereum do posto de segunda maior do mundo.

No entanto, quase um ano após o ciclo de alta atingir seu pico, o mercado virou de tendência. E o Ethereum continua atrás somente do Bitcoin (BTC) em termos de valor de mercado e usabilidade.

Publicidade

As contínuas e duras condições de baixa do mercado levaram os “Ethereum killers” a caírem vertiginosamente. De fato, muitas dessas criptomoedas agora estão nas suas menores cotações desde 2020. O Ether (ETH) acumula desvalorização de 73% em 2022, mas mesmo assim essas criptomoedas não representam mais ameaça ao seu domínio, pelo menos no curto prazo.

Veja agora três dos mais conhecidos “Ethereum killers” cujo preço desabou em 2022.

Publicidade


Publicidade

Polkadot (DOT)

A Polkadot é uma rede se orgulha de sua infraestrutura de ‘interoperabilidade’ que conecta várias blockchains em um só lugar. As blockchains são habilitadas para trocar dados de uma rede para outra sem comprometer a segurança e as medidas de proteção.

Diferentemente de outros “Etheeum killers”, a Polkadot chegou a fornecer soluções reais para as deficiências do Ethereum em vários sentidos. No entanto, a criptomoeda não conseguiu se posicionar como um concorrente para o domínio de sua rival.

Publicidade

Publicidade

O preço da DOT está em um padrão constante de queda em 2022 e mal subiu nos índices. Desde 1 de janeiro, a DOT caiu de R$ 171 para cerca de R$ 27 – uma desvalorização de 83,7%.

Desempenho da DOT em 2022.

Kadena (KDA)

A Kadena, cujo token é o KDA, não era uma das grandes opções para enfrentar o Ethereum, mas sua rede tem alguns aspectos interessantes. Essa blockchain roda na rede Kuro, suporta 8.000 transações por segundo (TPS) e, portanto, é mais rápida que o Ethereum, que roda menos de 20 TPS.

Publicidade

Em termos de velocidade e capacidade, a Kadena supera até mesmo a Solana, que consegue rodar até 2.000 TPS em condições normais. Por isso a Kadena se destacou como um desafiante para o Ethereum, e os investidores despejaram dinheiro, levando o KDA a atingir R$ 71 no início do ano.

No entanto, o token caiu fortemente ao longo de todo o ano e atingiu nada menos que 92,9% de desvalorização. Como resultado, o KDA hoje vale pouco mais de R$ 5 e a Kadena deixou de representar uma ameaça para o Ethereum.

Publicidade

Desempenho do KDA em 2022.

Solana (SOL)

Nenhuma lista de “Ethereum killers” estaria completa sem a Solana, sempre apontada como o primeiro da fila nessa lista. Com capacidade de transação 100 vezes maior que o Ethereum, a Solana era vista pelo mercado como uma rede mais rápida e mais eficiente.

Desde 2020, a Solana experimentou várias melhorias, como a inclusão de suporte a NFT e finanças descentralizadas (DeFi). Mas a rede também enfrentou diversos problemas com paralisias em sua blockchain, o que minou a confiança da comunidade na segurança da Solana.


Além disso, o colapso da FTX e da Alameda, duas grandes apoiadoras da rede, tiveram forte impacto. A SOL caiu 66% em menos de duas semanas depois do colapso da FTX e retirou a blockchain do Top 10 de valor de mercado.

O preço do SOL, que abriu o ano em quase R$ 1.000, hoje vale apenas R$ 70,75, o que representa uma forte queda de 92,9%.

Desempenho da Solana em 2022.
Publicidade