Embraer (EMBR3) confirma Binter como encomendadora de cinco aviões E195-E2

O pedido havia sido anunciado na última semana

Publicidade

Publicidade

Na última sexta-feira (2), a fabricante de aviões nacional Embraer (EMBR3) confirmou que o pedido de cinco aviões E195-E2, realizado na última quarta-feira (30), foi feito pela Binter, uma companhia aérea com sede na Espanha.

No total, o valor do pedido equivale a cerca de US$ 389,4 milhões (aproximadamente R$ 2,05 bilhões).

Pedido da Binter

Publicidade

Na última quarta-feira (30), em Comunicado ao Mercado, a fabricante aérea brasileira divulgou que havia recebido o pedido de cinco aviões E195-E2 — um modelo de jato comercial, o terceiro maior da Embraer e com capacidade de transportar até 132 passageiros —, mas, descreveu a encomendadora como “não revelada”.


Publicidade

No documento, a Embraer descreve que a empresa em questão “tem planos otimistas de crescimento nos próximos anos”.

Publicidade

Dessa maneira, até o final de 2023, a fabricante brasileira deve entregar quatro aeronaves do pedido, deixando a entrega da última para o início de 2024. O contrato deve, ainda, ser adicionado “à carteira de pedidos do quarto trimestre”.

No entanto, na última sexta-feira (2), a Embraer confirmou, em comunicado ao mercado, que o autor do pedido é a companhia aérea espanhola Binter.

Publicidade

Publicidade

Binter é uma companhia aérea da Espanha/Foto: Observador

Anteriormente, a empresa já havia adquirido cinco aeronaves do modelo no ano de 2019, se tornando, na época, a primeira cliente europeia do E195-E2. Dessa forma, a mais recente aquisição vem para fortalecer a frota da espanhola.

A cliente também se pronunciou sobre o pedido em uma Conferência Aeronáutica na cidade de Gran Canaria, com a presença de diversos jornalistas.

Publicidade

Lá, a companhia com sede na mesma cidade em que houve o pronunciamento deu detalhes sobre a entrega dos modelos: os dois primeiros jatos devem ser entregues no mês de novembro de 2023, outros dois em dezembro do mesmo ano, e o último em abril de 2024, seguindo o anúncio da brasileira.

Para o coordenador geral da Binter, Santiago Guerra, “A experiência adquirida ao longo dos anos confirma a excelente avaliação que os nossos clientes fazem deste modelo de aeronave, que se enquadra muito bem nas rotas mais longas e de maior volume de passageiros da Binter”.

Publicidade


A incorporação dos modelos adquiridos em sua frota atual, segundo o executivo, deve “permitir-nos [Binter] aumentar a oferta de rotas e destinos que temos agora”.

Depois do anúncio, as ações da Embraer (EMBR3) caíram nesta segunda-feira (5). Seus ativos somaram às 14:48 horas (Horário de Brasília) uma queda de 2%, atingindo os R$ 13,70.

No período de seis meses, no entanto, os ativos da fabricante de aeronaves brasileira apresentaram uma alta de 4,34%. Apesar disso, desde o início deste ano, seus papéis acumulam uma desvalorização de 45,72%.

Embraer: aviões elétricos e híbridos

Nesta segunda-feira, a fabricante de aeronaves brasileira anunciou que estaria estudando propostas de aeronaves comerciais capazes de atuar com propulsão elétrica e híbrida.

Os modelos teriam capacidade para transportar entre 19 e 30 passageiros. A tecnologia deve ficar pronta, segundo a empresa, a partir de 2030.

Imagem ilustrativa/Foto: Reprodução

A proposta foi divulgada pela empresa através de um Comunicado ao Mercado publicado. A iniciativa, de acordo com a Embraer, teria como objetivo “zerar as emissões de poluentes na indústria da aviação até 2050”.

Segundo o presidente e CEO da fabricante, Arjan Meijer, a empresa vem avaliando diferentes arquiteturas e sistemas de propulsão desde que os conceitos de Energia da fabricante foram divulgados, no ano passado.

“Esses esforços resultaram nas atualizações de nossos conceitos que compartilhamos hoje”, disse o executivo.

Além disso, Meijer também comentou sobre a participação de outras empresas aéreas no Conselho Consultivo do programa Energia. “A experiência e o conhecimento que trazem para o estudo serão fundamentais para acelerar para as próximas fases.”, conclui.

Publicidade