Downside: o que é e como funciona

Saiba mais sobre como proteger seu investimento desse fenômeno recorrente

Publicidade

Publicidade

O fenômeno que demonstra uma queda chamada de downside revela a tendência de desvantagens e prejuízo de diversos aspectos. O cenário de queda pode se manifestar no universo financeiro e econômico na inflação, taxa de juros, mercado, ações, economia e outros.

O apontamento é realizado por investidores especialistas e outros profissionais da área, através de estudos e embasamentos projetando uma futura queda, que de modo análogo ao evento upside, também traça o plano de movimentação oposta.

O que é

Publicidade

Embora o índice não seja realizado com esta intenção, visto que a projeção é feita independentemente e pode resultar tanto em aumento quanto em queda, a análise é fundamental para se prevenir e se preparar para o que está vindo. Desta forma, saber como proteger o investidor e seu investimento desse cenário negativo, especialmente se é investimento em renda variável.


Publicidade

As oscilações que afetam preço de ações e valor do mercado sugerem uma paralisia ou encolhimento da economia, desta maneira representando um enorme risco à economia.

Publicidade

Em função de calcular o potencial de risco na prática, é realizada uma estimativa qualificada, o chamado risco downside. Embora não seja uma conta infalível, a projeção do pior cenário possível é feita através de probabilidades, desvios padrões e outros métodos e modelos de risco.

No investimento

No universo de investimentos, quando se observa um downside, é essencial para o investidor ter em mente as medidas possíveis para proteger a si e seu capital. Sobretudo, o investidor pode vender, comprar ou permanecer o mesmo.

Publicidade

Publicidade

Imagem ilustrativa/Foto: Freepik

Dependendo do acionista, a escolha preferível é de vender as ações com medo da perda crescer de proporção. Deste modo, os ativos são liquidados e o investidor se desfaz de sua posição.

Já em alguns contextos, a estratégia escolhida é de comprar. Se a previsão do mercado é de uma melhora, os investidores tomam a oportunidade para comprar ações enquanto o preço está decaindo. Assim, lucrado durante a recuperação do mercado.

Publicidade

Por último, estão os investidores que não tomam nenhuma atitude que, apesar de manterem tudo, sofrem intervenção do downside de qualquer modo. 

Métodos de se proteger

Há alguns métodos de proteção contra o downside disponíveis para o investidor. Além das opções previstas de compra e venda, uma forma muito comum é o stop loss.

Publicidade

O stop loss é a estratégia mentalizada com a intenção de cessar o prejuízo. Assim como seu nome indica, stop loss significa parar as perdas, ou seja, é um método que visa, acima de tudo, a suspensão de perdas em geral. 


Ele funciona da seguinte maneira: em decorrência de uma valorização ou desvalorização, o investidor aplica o stop loss para automatizar a venda do ativo no caso de desvalorização assim que seu valor atinge o valor estipulado pelo especialista. Evitando o compromisso com uma ação em decadência acima do lucro da venda, mesmo que seja mínimo.

Agora, as opções conhecidas, de venda e compra, operam de forma intuitiva. Com algumas especificidades. A opção de venda, ou call, é uma ótima maneira de proteger seu capital. No mercado, o vendedor tem a opção de vender ativos pelo preço do momento, também chamado de valor do strike, porém não a obrigatoriedade. Ou seja, desse modo, o detentor da ação tem a possibilidade de fazer uma venda por um preço acima do valor da ação. 

Outro método muito comum, que é deixado de lado às vezes, é a diversificação correta da carteira de investimentos. Isto é, ter em mãos um portfólio com uma correlação negativa e diversificado. 

Para reduzir a dimensão de perda, compra-se dois ativos que respondem de forma diferente diante de um contexto, logo, enquanto um gera lucro, o outro desvaloriza. Assim, as ações são correlacionadas de modo negativo uma da outra.

Publicidade