Confira as 5 principais notícias que movimentam o Brasil e o mundo nesta segunda-feira

Última reunião do Copom e reabertura na China estão entre os destaques

Publicidade

Publicidade

Entre as principais notícias deste início de semana está a possibilidade da PEC da Transição ser votada no Senado na próxima quarta-feira (7). Enquanto a equipe do técnico Tite se prepara no Catar para mais um jogo da seleção, a equipe de transição do governo Lula está na expectativa para a aprovação da proposta que já vem se arrastando há algumas semanas.

Ainda que precise conseguir o aval da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, neste final de semana, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, pautou a PEC da Transição para ir à votação na quarta-feira. A tentativa tem como objetivo aprovar o texto que liberará recursos para o pagamento de benefícios como o Bolsa Família.

Publicidade


Como forma de entrar em consenso sobre os termos da PEC, nesta segunda-feira haverá uma reunião em Brasília entre Pacheco, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (União-AP) e o relator do Orçamento, senador Marcelo Castro (MDB-PI).

Publicidade

2. Lula se encontra com conselheiro de Biden

De volta a Brasília, o presidente eleito Lula (PT) tem compromissos políticos nesta segunda-feira, entre eles um encontro com o conselheiro de segurança do presidente dos Estados Unidos, Jake Sullivan.

Publicidade

O conselheiro de Joe Biden deverá tratar de assuntos a respeito da relação entre os dois países em encontro que contará com a presença do senador Jaques Wagner (PT-BA). Além disso, Lula e Sullivan devem discutir os termos para a visita que o presidente eleito deve fazer a Biden na Casa Branca.

3. Após protestos, China afrouxa restrições

Em meio a forte onda de protestos que ganharam as ruas da China nas últimas semanas contra a política de Covid zero que vem sendo imposta no país desde o início de 2020, o governo chinês anunciou uma flexibilização das medidas restritivas e a partir de agora não exigirá mais testes de PCR negativos para a visitação de parques e acesso ao transporte público.

Publicidade

Publicidade

A flexibilização ocorre em um momento em que a China vê o número de casos de Covid-19 crescerem novamente no país, porém com uma taxa de mortalidade muito menor do que a de ondas anteriores. A reabertura tende a fazer com que a economia se aqueça novamente e as bolsas asiáticas iniciam a semana em alta.

4. Última reunião do ano do Copom

Na próxima quarta-feira ocorre a última reunião do ano do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), o encontro também será o primeiro após as eleições presidenciais. Desde agosto a Taxa Selic vem sendo mantida em 13,75% ao ano e pelo segundo ano consecutivo o país não cumprirá a meta de inflação.

Publicidade

A tendência para esta reunião é de que a Selic se mantenha nesse patamar e de acordo com o Boletim Focus desta segunda-feira divulgado pelo Banco Central, houve um aumento nas projeções para o final de 2023, com a expectativa da taxa terminar o ano em 11,75%.

5. Projeção de principais indicadores é elevada

No início desta manhã o Banco Central divulgou mais um Boletim Focus com as projeções para os principais indicadores da economia brasileira. O relatório trouxe mais uma alta para a inflação, que subiu de 5,91% para 5,92% neste ano. Para o próximo ano o aumento foi ainda maior, saindo de 5,02% para 5,08%.

Publicidade

O documento também trouxe números para Selic, projetando a manutenção em 13,75% neste ano, mas com um aumento em 2023, de 11,50% para 11,75%, o que significaria o terceiro ano seguido acima da meta. Já os números referentes ao PIB também tiveram alta, apontando para um crescimento em 2022 de 3,05%, anteriormente a projeção era de 2,81%. Em 2023 a mediana saiu de 0,70% para 0,75%.

Publicidade