Confira as 5 principais notícias que movimentam o Brasil e o mundo nesta quinta-feira

Queda das estatais e primeira desaceleração da taxa de juros nos EUA no ano são destaques

Publicidade

Publicidade

Entre os principais destaques desta quinta-feira (15) está a queda que as estatais tiveram nesta quarta-feira após a aprovação da Câmara de projeto que promove mudanças na Lei das Estatais. A flexibilização permitiu que o ex-ministro Aloizio Mercadante pudesse assumir o cargo de presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A Petrobras (PETR3) liderou entre as maiores quedas do dia do Ibovespa, encerrando o pregão com uma queda de 9,8% das suas ações ordinárias e as ações preferenciais (PETR4) recuaram 7,9%. A variação negativa fez com que somente nesta quarta, a estatal perdesse quase R$ 30 bilhões em valor de mercado. O Banco do Brasil (BBAS3) também figurou na lista das maiores perdas do dia. As ações ordinárias do banco público caíam 4,74% por volta de 15h.

Publicidade


2. Taxa de juros dos EUA desacelera pela primeira vez no ano

Uma das definições mais aguardadas da semana era a decisão que o Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, iria tomar nesta quarta-feira na sua última reunião do ano. O encontro era visto com muitos olhares de expectativas de investidores estrangeiros que precificavam a possibilidade do Fed desacelerar o aumento dos juros norte-americanos.

Publicidade

O que era esperado foi cumprido e o Federal Reserve aumentou em 0,50 ponto percentual a taxa de juros após aumentar por quatro reuniões seguidas em cerca de 0,75 p.p. Isto faz com que os Estados Unidos cheguem a um patamar de 4,5% ao ano.

Publicidade

3. Novos cotados para ministérios

Depois do anúncio dos cinco primeiros nomes que estarão à frente dos ministérios na última sexta-feira e a confirmação da cantora Margareth Menezes no Ministério da Cultura e de Aloizio Mercadante na presidência do BNDES, o presidente eleito Lula (PT) já começa a desenhar mais definições que devem ser anunciadas nos próximos dias.

Entre os nomes que despontam como favoritos para assumir os cargos estão: Josué Gomes da Silva, no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; Alexandre Padilha, na Secretaria de Relações Institucionais; Jorge Messias, na Advocacia-Geral da União; e Vinícius Marques, na Controladoria-Geral da União. O Ministério da Saúde ainda possui um entrave na definição. Após ser dada como certa a escolha da presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, para a pasta, o cenário agora é de indefinição já que a Saúde é o ministério com o maior orçamento para 2023.

Publicidade

Publicidade

4. Presidente do BC apresenta Pix ao governo dos Estados Unidos

Nesta semana, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, anunciou que em reunião com o governo dos Estados Unidos, ele apresentou a ferramenta de pagamentos instantâneos, o Pix, aos norte-americanos. O principal objetivo do encontro foi mostrar como a ferramenta funciona em solo brasileiro. 

Além disso, Campos Neto deu a entender que o foco do Banco Central neste momento é buscar uma expansão principalmente na América Latina, mas que também está em busca de países africanos que possam se interessar pela ferramenta de pagamentos que é a mais popular no Brasil desde que foi criada.

Publicidade

5. Decisão taxa de juros Zona do Euro

As principais bolsas europeias abriram em queda na manhã desta quinta-feira sob a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) aplique mais um aumento da taxa de juros dos países da Zona do Euro. A expectativa é de que seja anunciado um aumento de 0,5 ponto percentual, chegando a 2%.

O novo momento vem em um momento complicado para os integrantes da Zona do Euro, em meio a inflação de dois dígitos que eles vêm enfrentando durante 2022. Atualmente o Índice de Preços ao Consumidor (CPI), que é responsável por medir esse dado, está cinco vezes maior do que a meta estabelecida no começo do ano.

Publicidade

Publicidade