Confira as 5 principais notícias do Brasil e do mundo nesta terça-feira

Início da última reunião do Copom e acordo sobre PEC são destaques

Publicidade

Publicidade

Entre as principais notícias desta terça-feira (6) está o início da última reunião do ano do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), o encontro que acontece a cada 45 dias é feito para definir a taxa básica de juros, a Selic. Desde agosto a taxa vem sendo mantida em 13,75%.

A expectativa do mercado para o resultado de dezembro que será divulgado nesta quarta-feira por volta das 18h é de que a Selic continue no mesmo patamar de 13,75%. De acordo com o último Boletim Focus, houve um ligeiro aumento nas estimativas para o final de 2023, com a Selic passando de 11,50% para 11,75%.

Publicidade


2. Acordo para PEC por 2 anos

O relator do Orçamento de 2023, o senador Marcelo Castro (MDB-PI), anunciou que o governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) irá diminuir o prazo para a PEC da Transição, que antes era prevista para durar quatro anos. Agora serão somente dois anos.

Publicidade

O acordo veio após a reunião realizada nesta segunda-feira entre os principais líderes da Câmara, Senado e CCJ do Senado. O encontro de Arthur Lira (PP-AL), Rodrigo Pacheco  (PSD-MG), Davi Alcolumbre (União-AP) com o próprio Marcelo Castro selou o prazo para a proposta, que desde a sua elaboração vinha sofrendo pela falta de consenso.

Publicidade

Dando sequência aos processos para a aprovação da PEC da Transição, nesta manhã começa a discussão do texto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, no entanto, a PEC deve ir à votação somente amanhã.

3. Governadores podem ter que aumentar ICMS em 2023

Uma pesquisa feita pelo Comitê Nacional de Secretários de Fazenda dos Estados (Comsefaz) mostrou que no próximo ano os governadores podem ter que aumentar os impostos para compensar as perdas após a redução de ICMS dos combustíveis, energia elétrica e telecomunicações que ocorreu neste ano.

Publicidade

Publicidade

Segundo o estudo, elevar a alíquota do ICMS faria com que os Estados arrecadassem cerca de R$ 33,5 bilhões. Os primeiros estados que aderiram à recomendação de elevar os impostos de 17,5% para 21,5% foram Pará, Piauí, Paraná e Sergipe.

4. Segundo turno das midterms pode pavimentar derrota de Trump

Nesta terça-feira acontece nos Estados Unidos o segundo turno das midterms, ou eleições de meio de mandato. A disputa, porém, é bem menor do que em relação ao primeiro turno, já que somente uma cadeira do Senado está vaga, na Geórgia. Se antes das eleições havia a expectativa de um fortalecimento da campanha de Donald Trump para conseguir a reeleição, o cenário agora é diferente.

Publicidade

O Partido Democrata do atual presidente Joe Biden até perdeu algumas cadeiras na Câmara, mas manteve a sua dominância no Senado. Agora, caso o democrata Raphael Warnock consiga se reeleger na Geórgia, será mais um revés para Trump, que poderá ver ainda nos próximos dias o anúncio de que Biden irá concorrer ao cargo novamente em 2024.

5. Dólar opera em baixa à espera de votação da PEC

Nesta manhã, o dólar abriu em queda em meio as expectativas para a votação da PEC da Transição na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. A proposta que já vem se arrastando há quase um mês deve chegar à aprovação nos próximos dias. A atenção se voltou a esse tema em virtude do clima mais ameno na agenda de indicadores.

Publicidade

A queda de 0,95% às 10h para uma cotação de R$ 5,23 também tem o baixo volume de negócios que aconteceram nesta segunda-feira por causa do jogo do Brasil na Copa do Mundo. Apesar disso, a moeda norte-americana fechou o dia com uma alta de 1,28%, negociada a R$ 5,28.

Publicidade