Confira as 5 principais notícias do Brasil e do mundo nesta segunda-feira

Presidente brasileiro no BID e escolha de ministros são destaques

Publicidade

Publicidade

A primeira semana de Copa do Mundo começa agitada nesta segunda-feira com notícias no Brasil e no exterior. Entre os principais destaques no Brasil está a volta do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), dos seus compromissos no exterior e a retomada dos trabalhos para a transição de governo. 

É esperado que nesta semana, Lula defina os primeiros nomes que assumirão os ministérios do seu governo. Os primeiros a serem definidos devem ser os comandantes da Casa Civil e do Ministério da Fazenda. Entre os cotados para a Fazenda está o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). O nome, no entanto, não agrada ao mercado financeiro.

Publicidade


2. Brasileiro assume o BID pela primeira vez

No exterior, o Brasil conseguiu pela primeira vez na história assumir a liderança do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A vitória veio com a eleição do ex-presidente do Banco Central Ilan Goldfajn. A instituição sediada em Washington atua com o objetivo de financiar projetos de cunho econômico, social e institucional, promovendo a integração comercial na América Latina e no Caribe.

Publicidade

O brasileiro que conseguiu se eleger em primeiro turno, foi presidente do BC durante o governo de Michel Temer e chega ao cargo como uma indicação de Jair Bolsonaro. Goldfajn comandará o BID pelos próximos cinco anos e já assume o cargo no dia 19 de dezembro.

Publicidade

3. PEC alternativa é apresentada no Senado

No último sábado, o senador Alessandro Vieira (PSDB) apresentou ao Senado Federal uma Proposta de Emenda à Constituição Alternativa à PEC da Transição que foi entregue na semana passada pelo vice-presidente eleito Geraldo Alckmin ao Congresso. O principal objetivo do texto apresentado por Vieira é reduzir o estouro do teto de gastos.

Na proposta, os gastos para custear o Bolsa Família de R$ 600, com um adicional de R$ 150 por cada criança de até 6 anos, cairia dos atuais R$ 198 bilhões, para pouco mais de R$ 70 bilhões. O texto enviado ao Senado também determina um prazo até julho de 2023 para que o governo aprove uma lei complementar que serviria como uma âncora fiscal.

Publicidade

Publicidade

4. COP27 chegou ao fim

Neste domingo chegou ao fim mais uma edição da Conferência Climática promovida pela ONU, a COP27. O evento que contou com a presença das maiores nações do mundo, e também marcou o primeiro compromisso do presidente eleito Lula no exterior após as eleições, terminou com uma decisão histórica que vinha sendo discutida a mais de 25 anos.

COP27 terminou com decisão histórica /Foto: Reprodução

Antes prevista para acabar na sexta-feira, a COP27 foi estendida até este domingo para que os líderes dos países presentes pudessem chegar a um consenso. A decisão em questão foi o aceno positivo para que os países mais ricos do mundo criem um fundo para ajudar os mais vulneráveis que estão passando por crises e perdas devido às mudanças climáticas.

Publicidade

Ainda que não tenham sido definidos os detalhes de funcionamento, foi criado um comitê temporário para propor as futuras regras. As novas propostas devem ser apresentadas na COP28 que ocorrerá nos Emirados Árabes Unidos no final de 2023.

5. Musk planeja mais demissões no Twitter

O bilionário Elon Musk continua a todo vapor com a sua reformulação no Twitter. Após adquirir a rede social em um acordo que girou na casa dos US$ 44 bilhões, o CEO da Tesla já demitiu todos os executivos de primeiro escalão da companhia, se tornando o único CEO do Twitter e também cortou mais de 4 mil funcionários no mundo todo. 

Publicidade

De acordo com a Bloomberg, após o ultimato dado por Musk na última semana, que gerou inúmeros pedidos de demissões, a companhia passará por mais um corte a partir de hoje. O foco de Musk nesse momento seria nas áreas de venda e parcerias de negócio.

Publicidade