Qual é o melhor título do Tesouro Direto para investir?

Descubra abaixo as principais diferenças entre o Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA

Publicidade

Publicidade

Tesouro Direto: eu tenho certeza de que você já ouviu falar. Mas, você sabe qual é a melhor opção para você?

Em primeiro lugar, é importante que você entenda qual é o significado desse nome tão popular entre os investidores.

Publicidade

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional para a negociação de títulos públicos federais para pessoas físicas, sendo desenvolvido em parceria com a B3, bolsa de valores brasileira, no ano de 2002.


Publicidade

O objetivo do programa é possibilitar investidores iniciantes e que ainda não detém muito capital, a começar a investir a partir de R$30,00.

Publicidade

Além disso, os títulos oferecem características com diferentes tipos de rentabilidade, liquidez e segurança, tornando fácil encontrar o investimento ideal para cada objetivo.

Outra característica interessante que o investidor deve ter conhecimento, é que os títulos públicos são garantidos pelo Tesouro Nacional, ou seja, o investidor empresta dinheiro ao Governo e, por isso, são os investimentos mais seguros do país.

Publicidade

Publicidade

Bom, dito isso, quais são os títulos disponíveis e suas diferenças?

Para entender, é necessário avaliar cada título individualmente e suas principais características.

Temos três opções, como:

Publicidade

1. Títulos prefixados

Ao investir nessa modalidade, o investidor saberá exatamente quanto receberá na data de vencimento do título.

Garante rentabilidade fixa e é ideal para o investidor que quer saber exatamente quanto receberá ao final da aplicação. 

Publicidade

Por terem a rentabilidade pré definida, o rendimento é nominal. Ou seja, será necessário descontar a inflação para obter o rendimento real da aplicação. 

Além disso, é indicado para metas de médio e longo prazo.

Existem duas opções de Títulos Prefixados, como:

– Tesouro Prefixado ou LTN

São títulos com rentabilidade definida no ato da compra. O investidor receberá o valor investido acrescido de uma remuneração na data de vencimento ou de resgate.

– Tesouro Prefixado com juros semestrais ou NTN-F

São títulos com rentabilidade pré-definida no ato da compra, acrescida de juros. 

A fórmula de cálculo do rendimento é a mesma do Tesouro Prefixado, o que muda é a forma de pagamento do rendimento que se dá de maneira semestral.

Ou seja, o investidor receberá a cada seis meses a rentabilidade proporcional acumulada, descontado o Imposto de Renda.

2. Títulos Pós-fixados:

Ao investir nessa modalidade, o valor recebido na data de vencimento dependerá do IPCA (índice da inflação) ou Selic (taxa básica de juros da economia).

Ou seja, o retorno do investimento será definido por uma taxa prefixada no ato da compra do título mais a variação do IPCA ou Selic.

Existem três opções:

– Tesouro Selic ou LFT

São títulos com rentabilidade diária e atrelada à taxa Selic.

Dentre os títulos do Tesouro Direto, é o que possui menor risco em caso de venda antes da data de vencimento.

Indicado para objetivos de curto prazo, como a reserva de emergência.

– Tesouro IPCA+ ou NTN-B Principal

São títulos com rentabilidade atrelada à variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) mais uma taxa prefixada de juros.

Sendo assim, protege o dinheiro das variações da inflação, garantindo rentabilidade sempre acima.

Indicado para objetivos de longo prazo, como a aposentadoria e oferece rentabilidade real.

– Tesouro IPCA+ com juros semestrais ou NTN-B

São títulos com rentabilidade atrelada à variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) mais os juros determinados no ato da compra. 

A fórmula de cálculo do rendimento é a mesma do Tesouro IPCA+, o que muda é a forma de pagamento do rendimento que se dá de maneira semestral.

Ou seja, o investidor receberá a cada seis meses a rentabilidade proporcional acumulada, descontado o Imposto de Renda.

Conclusão

Não existe o melhor investimento, e sim o que se adequa mais ao seu perfil de investidor e objetivos definidos.

Em resumo, você percebeu que para formar a sua reserva de emergência, o título mais indicado é o Tesouro Selic, certo? Então, caso ainda não tenha nenhum investimento, esse é o primeiro passo.


Em seguida, para objetivos de médio prazo, pode ser interessante seguir pelo Tesouro Prefixado, e para longo prazo, o Tesouro IPCA.

Por esses motivos, tenha clareza dos seus objetivos e coloque na ponta do lápis o que você quer conquistar, só assim será possível traçar um planejamento e construir a carteira de investimentos ideal para você.

Obrigada por ficar até o final e espero que tenha gostado!

-Gabriela Cabral

*As opiniões do colunista não refletem necessariamente a posição da Estoa.

Publicidade

O melhor conteúdo de negócios e economia no Brasil, de graça para você.

Cadastre-se para ter acesso a este conteúdo, é totalmente de graça!

Ao se cadastrar, você concorda com o compartilhamento de seus dados com a Estoa, e com os Termos de Uso , incluindo o uso de cookies e o envio de comunicações