Qual é a melhor estratégia de análise técnica: Rompimento ou Pullback?

Publicidade

Publicidade

Olá amigo investidor!

Vou direto ao ponto: depende! Isso mesmo, depende de sua assimetria de risco, estilo operacional e também alavancagem (principal).

Publicidade

Porém, como odeio quem fica encima do muro, vou dá a minha opinião nesse artigo!

E começa assim: 70% dos rompimentos são falsos!

Publicidade

Vou contextualizar o que é rompimento e o que é pullback/repique:

Publicidade

Rompimento

 É quando o preço passa por uma forte área de suporte/resistência, rompendo-a e renovando a máxima/mínima. É comum ser utilizado quando se procura padrões de tendência como os pivôs. Sempre é observado junto com o volume que ajuda a identificar se pode ser um rompimento falso.

Pullback/Repique

Movimento contrário à direção do mercado, pode ser ocasionado por realização de lucro/prejuízo dos investidores, como também notícias e afins. Normalmente é considerado pullback movimentos que respeitam as retrações de Fibonacci, ferramenta crucial para identificar essas retrações de preço. 

Publicidade

Publicidade

Os pullback’s são vistos em mercados que estão em alta e retraem, já os repiques são em mercados em queda que retraem na direção oposta.

Explicado isso, claro que, nada é 100% certo e posso lhe passar uma visão que agora mesmo você irá encontrar em algum gráfico o preço fazendo exatamente ao contrário, porém o trader trabalha com probabilidades.

Publicidade


Eu entendo que estratégias de pullback/repique possuem maior relação risco-retorno e devem ser sempre as prioridades do analista (sempre a favor da tendência!), também você estará entrando na operação no momento de melhor compra/venda em uma retração. Uma estratégia de rompimento irá fazer o stop loss da operação ficar maior, ligado a probabilidade que a maioria é falso, aconselho ao amigo investidor seguir essas 3 dicas para poder operar rompimentos com maior gerenciamento e assertividade:

Publicidade

  1. Cuidado com a alavancagem: Reduza o capital para operar o rompimento, por exemplo, em caso de índice futuro, opera com 20% da mão que normalmente opera em rompimentos e deixa o restante para a retração ou para a próxima dica;
  2. Entre no teste do rompimento: Sabemos que toda resistência se torna suporte quando rompida e vice-versa, conhecida como a troca de bipolaridade. Aguarde o rompimento o ocorrer e ter um fechamento acima do suporte/resistência em questão, desconsidere fechamentos muito colados. Assim que o preço realizar o pullback nessa região realize a entrada, pois assim estará na tendência entrando na retração do preço (Ainda aconselho entrar nas áreas de retração, portanto também entraria com 20% do que normalmente faço);
  3. Assimetria do risco: Tenha bastante atenção com essa parte, pois não adianta ganhar 60% das vezes se o risco é 1/4. Estratégias de rompimento tem stop loss muito caros e por isso deve ser sempre considerado na hora de entrar neste tipo de estratégia;

Bônus:

Indico que o amigo investidor utilize algum indicador oscilador para suas estratégias, isso ajudará a identificar se a estratégia de rompimento não é uma divergência de IFR ou Estocástico por exemplo.

Espero ter ajudado!

-Wano Carvalho

Analista CNPI-T / CEA – Especialista em Investimentos

*As opiniões do colunista não refletem necessariamente a posição da Estoa.

Publicidade