Empresas: crescer é ter parcerias

Publicidade

Publicidade

Qual é o propósito de uma empresa? 

O que interessa em uma empresa não são os cargos , mas sim a companhia!

Publicidade

Tanto na hora de investir quanto na hora de trabalhar / fundar uma empresa é necessário compreender os valores culturais para transformar uma empresa. 

Muitas empresas tem em seu propósito de existência focar em trazer uma transformação ao seu cliente. Mas será que esse é sempre o caso? 

Publicidade

Não importa o âmbito em que a empresa privada esteja, para que a empresa possa sobreviver é necessário que as suas receitas sejam maiores que os seus custos, do contrário, não haverá possibilidade de se operar em um mercado. 

Publicidade

Há claro algumas exceções, pois há empresas privadas que recebem financiamento externo e portanto não estão buscando no início serem lucrativas, mas sim aumentarem a base de clientes, ou investem pesadamente em marketing, justamente para que possam ser lucrativas no longo prazo. 

Desta forma, algumas empresas privadas podem “se dar ao luxo” de não serem lucrativas nos seus primeiros anos de vida, contudo no longo prazo, não há exceção para tal regra.

Publicidade

Publicidade


Para fazermos um levantamento de forma objetiva e analítica é necessário termos um parâmetro, ou seja, um norte para que possamos ter uma base de referência na hora de tomarmos uma decisão. Dessa forma, vou listar 5 indicadores essenciais para analisar uma empresa. 

Publicidade

1) Receitas 
2) Custos e Despesas (Ver o contexto passado para projetar o futuro);
3) Eficiência Operacional (EBITDA);
4) Endividamento- Diluído em Anos -> Fazer Caixa; 
5) Perspectiva para o futuro. 

Em aspectos mais qualitativos (que não estão atrelados diretamente com os aspectos financeiros de uma empresa), os valores culturais de uma companhia são de suma importância, visto que uma empresa é baseada na conexão entre distintas pessoas que com suas obstinações e poder de buscar / alcançar metas individuais e coletivas transformam a realidade de uma empresa através da melhora da experiência do cliente. 

Publicidade

Muitas organizações erroneamente centralizam os seus processos decisórios acreditando que não seja sustentável/ importante para a modificação dos seus resultados, possuírem estruturas de processos menos burocráticas. 

Fornecer poder de decisão/ autonomia aos seus colaboradores, não significa quebrar um modelo de negócio lucrativo, mas sim, dar voz a pessoas que participam da empresa e que possuem visões mais acuradas de ajustes para que as metas financeiras/ não financeiras possam ser mais viáveis ao longo do processo de vida da empresa. 

O foco no Feedback através da criação de pilares de informação da qualidade da experiência dos clientes é um outro ponto que necessita atenção e é imprescindível para um ganho de escala consistente e são alicerces de qualidade para o encantamento do cliente com o seu produto / serviço. 

Texto produzido por: Erik Braga, Sua Terapia Financeira

*As opiniões do colunista não refletem necessariamente a posição da Estoa.

Publicidade