Conheça tudo sobre a teoria Dollar Smile

Publicidade

Publicidade

Independente do momento e da situação, a regra é sempre essa: invista em dólares! Principalmente para os investidores de países emergentes como o Brasil, e hoje não há desculpas para não o fazer – é tudo muito fácil e rápido; em questão de minutos conseguimos abrir uma conta em uma corretora americana.

Existe uma teoria chamada “Dollar Smile”, criada pelo gestor de investimentos Stephen Jen Li há mais de 20 anos. A teoria explica, de forma simplificada, como o dólar é uma moeda que beneficia o investidor – principalmente brasileiro e de países emergentes – em dois cenários extremos.

Publicidade


Explicações sobre a teoria Dollar Smile

Imagine um sorriso enorme – daí vem o nome da teoria – uma curva que lembra um sorriso. O eixo vertical se refere ao valor do dólar – para cima significa dólar valorizado, enquanto para baixo significa dólar desvalorizado.

Publicidade

Conheça tudo sobre a teoria Dollar Smile
Explicação resumida sobre a teoria Dollar Smile /Foto: Reprodução

Na extremidade da esquerda, a curva prega um cenário onde o mundo está avesso ao risco, exatamente o momento em que estamos agora: com o mundo inteiro apavorado por causa da desaceleração da economia da China, da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, da inflação da Europa atingindo níveis alarmantes, entre outros pontos. A decisão do mercado é clara, buscar investimento em moeda forte. E qual é a moeda mais forte do planeta? Sim, estamos falando do dólar!

Publicidade

Os EUA é uma potência que representa 25% de toda a economia global, é dono da moeda que é utilizada em pouco mais de 70% das transações do planeta, tem as forças armadas mais poderosas do mundo e tudo isso proporciona ao país o título de economia mais segura do mundo de forma disparada. Não é à toa que os títulos de dívida do governo americano são considerados os ativos de menor risco.

Resumindo, quando o mundo está com uma economia muito fraca, como o atual cenário, o dólar se fortalece pois é para lá que os investidores correm quando o medo toma conta. O dólar é proteção e os EUA e sua moeda se beneficiam num mundo de economia fraca.

Publicidade

Publicidade

Na extremidade da direita, ocorre o oposto do cenário comentado acima. A curva mostra um mercado com um gigantesco apetite de risco, uma economia global forte (e consequentemente a dos EUA), algo que tínhamos lá no final de 2020 e começo de 2021, com os EUA imprimindo trilhões e trilhões de dólares e fazendo sua economia decolar.

Ainda que oposto ao cenário de uma crise, o dólar também se fortalece, e existe uma série de razões que explica por que isso ocorre.

Publicidade

Com uma economia global forte, os investidores buscam investir na maior economia do mundo, nas maiores empresas do planeta e reconhecem o potencial de crescimento que o país possui. Esse cenário faz com que todo dinheiro migre para os EUA, com investidores sedentos por rentabilidade buscando alternativas de investimentos mais agressivos.

Ou seja, tanto em um cenário de crise global quanto em um cenário de prosperidade global, os EUA atraem o capital dos investidores de todo o planeta, sendo em um cenário por busca de segurança, e em outro cenário por busca de rentabilidade.

Publicidade

Ponto do meio

E se você estiver se perguntando sobre o ponto do meio da curva, explicamos.

O meio da curva significa um cenário mais atípico, menos provável, onde os EUA têm um crescimento baixo enquanto o mundo cresce mais. É um cenário improvável porque uma crise nos EUA tende a causar forte impacto em todo o mundo, fazendo com que não só eles, mas todos os países desenvolvidos também desaceleram.

-Flavia Davoli 

*As opiniões do colunista não refletem necessariamente a posição da Estoa.

Publicidade