Conheça investimentos para viver de renda

Descubra neste artigo como garantir a sua renda passiva para poder parar de trabalhar na sua aposentadoria

Publicidade

Publicidade

A ideia de parar de trabalhar e ter uma renda que cubra os seus custos mensais para viver com tranquilidade agrada você? Posso apostar que sim e é sobre isso que vamos conversar aqui.

É possível, mas exige dedicação, organização e paciência. Você precisa plantar os frutos para depois colher o resultado.

Publicidade


Bom, antes de qualquer coisa, e o que significa viver de renda passiva?

Viver de renda significa ter todas as suas despesas mensais pagas, proveniente dos seus investimentos. Ou seja, à medida que o seu patrimônio começa a render, o valor cairá na sua conta em forma de “salário”.

Publicidade

Em resumo, a renda passiva não depende diretamente do seu trabalho ativo – afinal, o investidor fará o seu dinheiro trabalhar por conta própria através dos investimentos.

Publicidade

É possível conquistar a renda passiva de diferentes formas, como rendimentos de fundos de investimento, dividendos de ações, títulos do Tesouro Direto, entre outros.

E aí… Qual é o passo a passo prático?

Em primeiro lugar, o investidor precisará fazer um diagnóstico da sua vida financeira, levantando todas as suas despesas, seja fixa ou recorrente, essencial ou não essencial. 

Publicidade

Publicidade

Neste momento, será possível analisar e buscar os maiores gargalos financeiros para otimizar ainda mais as suas economias. 

Em terceiro lugar, o acompanhamento mensal é de fundamental importância. De nada adianta colocar os gastos no papel, traçar um raio-X da vida financeira e nunca mais atualizar, né? Identifique periodicamente o que está funcionando e o que não está. Se for necessário, altere metas e limites de gastos.

Publicidade

Quais são os melhores investimentos para viver de renda?

Nesta etapa, o investidor precisará ter clareza do seu perfil de investidor e objetivos definidos por prazos. 

Por exemplo, se você tiver um perfil conservador, a alocação do seu portfólio será predominantemente em investimentos de renda fixa. Caso você tenha perfil agressivo, poderá ter uma parcela maior em ativos de renda variável, e por aí vai.

Publicidade

O importante é que o investidor desenvolva uma estratégia diversificada em sua carteira de investimentos, buscando segurança e estabilidade, em detrimento de rentabilidades favoráveis também.

Na categoria de renda variável, temos opções como:

  1. Fundos Imobiliários, que pagam rendimentos através dos aluguéis mensais
  2. Ações de empresas pagadoras de dividendos

Ambos exigem mais conhecimento e tolerância a risco, já que a volatilidade é consideravelmente maior se comparada aos investimentos abaixo.

Na categoria de renda fixa, temos dois títulos que pagam rendimentos periódicos:

  1. Tesouro Prefixado com juros semestrais
  2. Tesouro IPCA+ com juros semestrais

Os títulos indexados à inflação (IPCA), garantem o poder de compra do dinheiro, protegendo com relação às variações da inflação no longo prazo.

Além disso, imóveis físicos e fundo de previdência privada também são possibilidades de investimentos para constituir renda passiva.

Importante: cada um desses investimentos atende um perfil de investidor, portanto tenha consciência do seu apetite a risco e qual o grau de volatilidade que você suporta correr.

Por último, antes de pensar em viver de renda, construa a sua reserva de emergência.

Fez sentido para você? Então divulgue o link desse artigo com um amigo para que mais pessoas tenham acesso ao conhecimento gratuito, combinado?!

Obrigada por ficar até o final e espero que tenha gostado!

-Gabriela Cabral

*As opiniões do colunista não refletem necessariamente a posição da Estoa.

Publicidade