CEO do Telegram propõe leilão de nomes de usuários como NFTs

Publicidade

Publicidade

O CEO do Telegram, Pavel Durov, propôs trazer os nomes de usuário da plataforma e links de canal para o mercado como NFTs.

Em um post de segunda-feira em seu canal pessoal do Telegram, que tem 651.000 assinantes, Durov sugeriu que milhões de endereços reservados do Telegram poderiam ser leiloados como ativos em blockchain.

Publicidade

“Isso criaria uma nova plataforma onde os titulares de nomes de usuário poderiam transferi-los para as partes interessadas em acordos protegidos – com propriedade garantida no blockchain por meio de contratos inteligentes do tipo NFT”, explicou ele.


Publicidade

Durov escreveu que foi inspirado pela recente venda da The Open Network (TON) de mais de 2.000 nomes de domínio .ton.

Publicidade

A venda totalizou 2.392.002 Toncoins, cada um negociado por US$ 1,29, gerando aproximadamente US$ 3 milhões.

O nome de maior bilheteria na venda foi wallet.ton, que sozinho foi vendido por 215.250 Toncoin.

Publicidade

Publicidade

Os nomes de domínio em segundo lugar, casino.ton e bank.ton, foram vendidos por 200.000 e 157.500 Toncoins, respectivamente.

“Se a TON conseguiu esses resultados, imagine o sucesso do Telegram com seus 700 milhões de usuários se colocarmos @ nomes de usuário reservados, links de grupos e canais para leilão”, argumentou o CEO.

Publicidade

“Além de milhões de t.me endereços como @storm ou @royal, todos os nomes de usuário de quatro letras podem ser disponibilizados para venda (@bank, @club, @game, @gift, etc.)”.

“Outros elementos do ecossistema do Telegram, incluindo canais, adesivos ou emojis, também podem se tornar parte desse mercado mais tarde.”

Publicidade

A TON foi originalmente projetada pelo Telegram, mas o controle do blockchain foi entregue à comunidade The Open Network em junho de 2020.


A empresa foi forçada a perder a propriedade como parte de um acordo com a Securities and Exchange Commission (SEC), que entrou com uma ação judicial contra o Telegram por supostamente conduzir uma venda de títulos não registrados por US$ 1,7 bilhão na forma de tokens GRAM.

Durov diz acreditar que usar a TON para seu próprio plano de leilão seria melhor devido à sua escalabilidade e velocidade.

Ele também está confiante de que a empresa pode escrever contratos inteligentes “à prova de balas” para a rede, já que foram eles que inventaram a linguagem de programação.

“Vamos ver se podemos adicionar um pouco de Web 3.0 ao Telegram nas próximas semanas”, concluiu.

*Com Criptonizando

Publicidade