CEO da FTX deve faturar até R$ 530 milhões com a compra de Musk no Twitter

Publicidade

Publicidade

A compra do Twitter por Elon Musk por US$ 44 bilhões (cerca de R$ 235 bilhões) pode render ao CEO da exchange de criptomoedas FTX o equivalente a R$ 530 milhões.

Isso porque o jovem bilionário Sam Bankman-Fried, que fundou a FTX, supostamente possuía entre R$ 264 milhões e R$ 530 milhões em ações da empresa de mídia social antes de a aquisição ser concluída na última quinta-feira (27).

Publicidade

De acordo com fontes ouvidas pelo The Block, considerando o valor total da transação, a participação de Bankman-Fried na rede social seria de cerca de 0,1% a 0,2%.


Publicidade

Elon Musk compra o Twitter

Conforme noticiou o CriptoFácil, Musk finalmente comprou o Twitter após vários meses de negociações, tentativas de suspender o negócio, acusações de falta de transparência e processo judicial.

Publicidade

Assim que finalizou a compra, o CEO da Tesla e da SpaceX demitiu vários altos executivos da empresa. Isso inclui, por exemplo, o CEO Parag Agrawal, o diretor financeiro, Ned Segal, e o chefe de assuntos jurídicos e de políticas, Vijaya Gadde.

A exchange de criptomoedas Binance, que já havia prometido US$ 500 milhões para apoiar o acordo, confirmou que agora é investidora do Twitter. Ao preço de US$ 44 bilhões, a participação da Binance no Twitter chega a cerca de 1,1%.

Publicidade

Publicidade

“Estamos empolgados em poder ajudar Elon a concretizar uma nova visão para o Twitter. Nós queremos desempenhar um papel na união das mídias sociais e da web 3.0 para ampliar o uso e a adoção da tecnologia cripto e blockchain”, disse o fundador e CEO da Binance, CZ.

A Binance, inclusive, tem planos para ajudar Musk a tornar o Twitter uma plataforma mais amigável às criptomoedas. De acordo com a Reuters, a Binance está criando uma equipe que “trabalharia em como blockchain e criptomoedas podem ser úteis para o Twitter”.

Publicidade


Bankman-Fried fica de fora do acordo de Musk e Twitter

Bankman-Fried também planejava inicialmente fazer parte do acordo entre Elon Musk e o Twitter. O bilionário, conhecido também como SBF, teria planos para apoiar a compra com até US$ 15 bilhões.

Publicidade

Seu conselheiro Will MacAskill teria tentado agendar uma reunião entre Musk e o CEO da FTX ainda em março. Mas Elon Musk parecia não ter dado muito crédito à SBF.

O bilionário do ramo da tecnologia teria perguntado à MacAskill se Bankman-Fried tinha “enormes quantias de dinheiro”. Então, o assessor disse que SBF tinha uma fortuna avaliada em US$ 24 bilhões e estaria disposto a contribuir de US$ 8 bilhões a US$ 15 bilhões.

No entanto, segundo a fonte, SBF acabou desistindo do negócio.

Publicidade