Celsius Network viola privacidade e expõe dados de milhares de clientes

Publicidade

Publicidade

A plataforma de empréstimo de criptomoedas Celsius Network expôs uma longa lista de seus clientes no processo contra a empresa. O documento revelou nomes e o histórico de transações de centenas de milhares de seus clientes.

Embora a lista devesse correr em segredo de justiça, um usuário do Twitter chamado Foobar teve acesso ao documento. De acordo com Foobar, a lista é pública e está disponível para download na internet, o que ele classificou como uma “grave falha de segurança”.

Publicidade

“A Celsius publicou um documento de 14.000 páginas detalhando o nome completo de cada usuário, vinculado ao timestamp e valor de cada depósito/retirada/liquidação. Esta terrível violação de privacidade fará muitos clientes serem roubados ou até mortos”, disse o usuário.


Publicidade

Violação de privacidade da Celsius Network

Conforme apurado pelo CriptoFácil, o documento possui exatamente 14.500 páginas e tem uma série de dados sensíveis. Por exemplo, a lista traz nomes de clientes, endereços das carteiras de criptomoedas, tipos e valores de transações.

Publicidade

Além disso, a lista mostra quais serviços o cliente havia usado e os tipos e quantidades de tokens que os clientes possuem. Ou seja, o documento expõe a privacidade dos usuários de forma muito abrangente.

Logo em seguida ao vazamento da lista, o Crypto Twitter repercutiu o fato com vigor. A maioria dos usuários condenou a violação de privacidade e o grau dos dados expostos. Outros, em contrapartida, alertaram para o tamanho do vazamento em si.

Publicidade

Publicidade

Este foi o caso de Nick Hansen, CEO e cofundador da Luxor. Para Hansen, o caso do vazamento é muito mais grave do que parece. “Esse vazamento de Celsius pode ser uma das maiores violações de informações de clientes de todos os tempos”, disse o executivo.

Até o fechamento desta matéria, a Celsius ainda não forneceu nenhuma explicação dos motivos para o vazamento da lista. De fato, a empresa sequer confirmou se o tribunal que julga seu caso exigiu que a empresa fornecesse a lista.

Publicidade

A notícia vem depois que a Celsius entrou com um pedido de falência em julho de 2022. De acordo com a empresa, os problemas de liquidez deixaram um prejuízo de US$ 1,2 bilhão em seu balanço. Com isso, a empresa ainda não conseguiu liberar os saques das criptomoedas de todos os seus clientes.

A empresa está atualmente pronta para leiloar seus ativos restantes como parte de suas tentativas de pagar suas dívidas aos investidores. A exchange FTX aparece como uma das principais interessadas em comprar os ativos da empresa.

Publicidade

Lucros de executivos chamam atenção

O processo judicial também fornece mais detalhes sobre como os principais executivos podem ter sacado dinheiro da plataforma antes da falência. Alex Mashinsky, retirou US$ 10 milhões antes que os problemas de liquidez da empresa se tornassem públicos, conforme noticiou o CriptoFácil.


No entanto, o processo também foi revelado que o diretor de estratégia da Celsius, Daniel Leon, retirou US$ 7 milhões da plataforma antes de encerrar as retiradas de usuários. Na cotação atual, o valor corresponde a R$ 35 milhões.

Assim como Mashinsky Leon renunciou ao seu cargo, em 4 de outubro, cerca de uma semana depois da saída do CEO.

Além disso, a esposa de Mashinsky, Kristine, retirou 2 milhões de tokens Celsius (CEL) antes que a plataforma encerrasse suas retiradas, enquanto o atual diretor de tecnologia Nuke Goldstein retirou cerca de US$ 550 mil em uma variedade de criptomoedas diferentes.

Mashinsky respondeu às alegações de irregularidades. De acordo com o ex-CEO, dos US$ 10 milhões sacados, US$ 8 milhões serviram para pagar impostos estaduais e federais.

Publicidade