Bolsonaro diz em seu pronunciamento que: “Continuarei cumprindo todos os mandamentos da nossa constituição”

Após quase 48 horas o atual presidente da República, Jair Bolsonaro se pronuncia sobre o resultados das eleições

Publicidade

Publicidade

O atual presidente Jair Bolsonaro (PL) se pronunciou, nesta terça-feira (01), sobre a derrota no segundo turno das eleições, na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu com 50,9% dos votos. 

Jair Bolsonaro não havia se pronunciado desde a apuração das urnas, às 19:57 no domingo (30). Ontem (31), o deputado federal Cláudio Cajado (BA), assim como alguns de seus aliados,  disseram que o atual presidente estava trabalhando no discurso. 

O discurso de Jair Bolsonaro 

Publicidade

Em seu discurso o atual presidente disse que estava desapontado com o resultado do segundo turno das eleições, entretanto ele agradeceu a todos os seus eleitores, por terem mostrado apoio. 

“Quero começar agradecendo os 58 milhões de brasileiros que votaram em mim, no último dia 30 de outubro. Os atuais movimentos populares são fruto de indignação e sentimento de injustiça, de como se deu o processo eleitoral”, agradece o presidente. 

Publicidade

Bolsonaro disse que: “As manifestações pacíficas sempre serão bem vindas, mas os nossos métodos não podem ser o da esquerda, que sempre prejudicaram a população, como invasão de propriedades, destruição de patrimônio e cerceamento do direito de ir e vir.”

Publicidade


“A direita surgiu de verdade em nosso país, nossa  robusta representação no congresso mostra a força dos nossos valores. Deus, pátria, família e liberdade. Formamos diversas lideranças pelo Brasil, nossos sonhos seguem mais vivos do que nunca. Somos pela ordem  e pelo progresso, mesmo enfrentando todo o sistema, superamos uma pandemia e as consequências de uma guerra”, afirma Bolsonaro. 

Publicidade

Publicidade

“Sempre fui rotulado como antidemocrático, e ao contrário de meus acusadores, sempre joguei dentro das quatro linhas da constituição, nunca falei em controlar ou censurar a mídia, e as redes sociais, enquanto presidente da república e cidadão continuarei cumprindo todos os mandamentos da nossa constituição”, diz o presidente. 

Por fim, Bolsonaro diz que: “É uma honra ser o líder de milhões de brasileiros, que  como eu defendem a liberdade econômica, a liberdade religiosa, a liberdade de opinião, a honestidade e as cores verde e amarelo da nossa bandeira. Muito Obrigado”.

Publicidade

Sede do Supremo Tribunal  Federal Créditos: Reprodução

Os ministros do STF 

Nesta manhã, o atual presidente havia se reunido com alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), com o objetivo de expor o que achou da “falta de equilíbrio” de alguns integrantes do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre a condução do processo eleitoral no último domingo.

Alguns integrantes da Corte do STF, disseram que não iriam participar do pronunciamento feito no Palácio da Alvorada, pois comparecer ao discurso seria “gerar desgaste na imagem da Suprema Corte”, caso Bolsonaro questione a lisura das urnas eletrônicas.

Publicidade

As manifestações 

Com a apuração das urnas, alguns apoiadores de Jair Bolsonaro, assim como caminhoneiros e produtores rurais, interditaram as rodovias do país, se manifestando sobre o resultado do segundo turno das eleições. 

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes pediu para que a Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Militar estadual, federal e municipal interrompessem e liberassem as rodovias dos protestos

Imagem da manifestação na rodovia do  Mato Grosso Créditos: Reprodução

A família Bolsonaro 

Ontem (31), a  primeira- dama Michelle Bolsonaro, se manifestou em suas redes sociais sobre ela e o marido terem deixado de se seguir no instagram. “Conforme o Jair explicou em várias ‘lives’, quem administra essa rede não é ele. Eu e meu esposo seguimos firmes, unidos, crendo em Deus e crendo no melhor para o Brasil”.

Flávio Bolsonaro, senador e filho do atual presidente escreveu em seu twitter:  “Obrigado a cada um que nos ajudou a resgatar o patriotismo, que orou, rezou, foi para as ruas, deu seu suor pelo país que está dando certo e deu a Bolsonaro a maior votação de sua vida! Vamos erguer a cabeça e não vamos desistir do nosso Brasil! Deus no comando!”.


Os aliados

Alguns aliados de Jair Bolsonaro, também se manifestaram nas redes sociais, após o resultado das eleições. 

Damares Alves, a senadora eleita, publicou em seu Twitter:  “Perdemos uma eleição, mas não perdemos o amor pelo nosso país. Bolsonaro deixará a Presidência da República em janeiro de cabeça erguida, com a certeza de dever cumprido e amado por milhões de brasileiros”.

O ex-ministro, Sergio Moro também se manifestou através do Twitter. “A democracia é assim. “O resultado de uma eleição não pode superar o dever de responsabilidade que temos com o Brasil. Vamos trabalhar pela união dos que querem o bem do País”, publicou Moro. 

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, comunicou após o discurso feito por Jair Bolsonaro, que já foi liberado o processo de transição entre seu governo e o de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

“O presidente Jair Messias Bolsonaro me autorizou, quando for provocado, com base na lei, nós iniciaremos o processo de transição. A presidente do PT, segundo ela, em nome do presidente Lula, disse que na quinta-feira será formalizado o nome do vice-presidente Geraldo Alckmin. Aguardamos que isso seja formalizado para cumprir a lei do nosso país”, afirma Nogueira. 

Publicidade