Belvo recebe aporte de Citi Ventures e anuncia novo VP de Finanças

O valor do financiamento não foi revelado, e segue o ingresso de Leandro de Piano no quadro executivo da startup

Publicidade

Publicidade

Nesta terça-feira (23), o braço de investimentos do Banco Citi, o Citi Ventures, divulgou um aporte realizado na fintech multinacional Belvo.

Apesar do valor do financiamento não ser revelado, a medida segue o anúncio do novo VP de Finanças da companhia, Leandro de Piano.

Aporte do Citi Ventures

Publicidade

Apesar de não divulgar o valor do investimento, a fintech vai utilizar do aporte para expandir sua atuação no Open Banking na América Latina, sobretudo, no México. 

Com o objetivo de criar novos serviços e produtos envolvendo Open Finance, com o financiamento, a fintech deve se relacionar com o Citibanamex, uma instituição bancária controlada pelo Citi.

Publicidade

Citi Ventures é o braço de investimentos do Banco Citi/Foto: Divulgação – Citi

Dessa forma, os recursos de Open Banking prestados pelo banco mexicano devem ser incorporados aos seus serviços, principalmente, na área de pagamento, âmbito em que a fintech já possui atuação no México.

Publicidade

Considerando a disponibilidade de serviços, o Diretor Geral da Belvo no Brasil, Albert Morales, explica que este é mais um “aporte estratégico” do que uma rodada de financiamento em si.

O executivo afirma, ainda, que uma rodada Série B já está a caminho, porém, “no momento ainda estamos capitalizados com a rodada anterior, e o Citi chega para ser um parceiro estratégico”.

Publicidade

Publicidade


O aporte anterior, citado por Morales, denomina a Rodada Série A realizada em maio de 2021. Contando com a participação de “investidores relevantes”, segundo a fintech, como Biz Stone, co-fundador do Twitter e Sebastián Mejía, co-fundador da Rappi, por exemplo, ela foi a responsável por garantir a quantia de US$ 43 milhões ao caixa da Belvo.

Publicidade

O mercado financeiro, no entanto, ainda não possui regulamentações quanto ao Open Banking. Porém, para Morales, este cenário está prestes a mudar. A Belvo, inclusive, já recebeu autorização da CNBV, a Comisión Nacional Bancaria y de Valores, para atuar na área de pagamentos banco-a-banco.

O co-CEO da Belvo, Pablo Vigueira, também se pronunciou sobre o aporte. De acordo com o executivo, o investimento representa um sinal da crescente colaboração entre fintechs e players do cenário financeiro tradicional na América Latina sob o contexto do Open Finance.

Publicidade

“Com os rápidos avanços da regulamentação em países como o Brasil, México e Colômbia, nós acreditamos que atuar com instituições financeiras é a chave para trazer os benefícios desses novos modelos à mais negócios e usuários”, conclui Vigueira.

Além disso, com o financiamento, a Citi Ventures se junta à linha de investidores da fintech multinacional, que inclui nomes como Visa, Kaszek Ventures, Y Combinator, Future Positive, Founders Fund, FJ Labs e Maya Capital, por exemplo.

O aporte segue, ainda, o anúncio da chegada de Leandro Piano no quadro de executivos da Belvo.

Novo VP de Finanças

Para o cargo de Vice-Presidente de Finanças, a Belvo conta com o ingresso do executivo Leandro Piano. 

Com 18 anos de experiência na área de finanças, o executivo já atuou na área financeira em outras companhias, como na Laureate Education, onde permaneceu como CFO da região sul do Brasil.

Leandro Piano, novo VP de Finanças da Belvo/Foto: ClienteSA

Antes de entrar para a fintech, Piano atuava como CAO (Chief Administration Officer) da Warren Brasil, companhia em que a Citi Ventures também é investidora.

Ele é formado em Economia pela Faculdade Oswaldo Cruz e possui um MBA pela Business School São Paulo.

Em um comunicado à imprensa, o executivo destacou que “nosso objetivo [Belvo], é fazer com que a Belvo se consolide a nível continental como um facilitador no Open Finance”.


“A tecnologia já existe e está operando, mas, nos próximos meses, queremos expandir e tornar os dados ainda mais acessíveis para atrair novos players e promover uma completa inclusão financeira”, concluiu Piano.

Além disso, para atuar como líder de estratégia de Open Finance e pagamentos no Brasil, a companhia contou com o ingresso de Ana Luíza Martins de Castro, há cerca de dois meses.

Publicidade

O melhor conteúdo de negócios e economia no Brasil, de graça para você.

Cadastre-se para ter acesso a este conteúdo, é totalmente de graça!

Ao se cadastrar, você concorda com o compartilhamento de seus dados com a Estoa, e com os Termos de Uso , incluindo o uso de cookies e o envio de comunicações