Bank of America: depósitos de stablecoins em exchanges é sinal de recuperação do mercado

Publicidade

Publicidade

O Bank of America, um dos maiores bancos dos EUA, informou em relatório recente, um aumento significativo nos depósitos de stablecoins em exchanges.

Esse movimento pode significar que o mercado está caminhando para uma eventual recuperação, segundo os pesquisadores da instituição.

Publicidade


O mercado de criptomoedas sofreu em cheio este ano, ao lado do mercado de ações. As criptomoedas são geralmente consideradas ativos de risco.

Publicidade

Portanto, à medida que os investidores evitam riscos, investem seu dinheiro em ativos mais seguros, como o dólar americano.

Publicidade

Bank of America utiliza stablecoin como sinal de recuperação de mercado

Um relatório da última sexta-feira (23), os analistas Alkesh Shah e Andrew Moss informaram dados interessantes sobre o mercado das stablecoins.

Em suma, para a dupla, apesar dos ativos digitais se comportarem como “ativos de risco”, as stablecoins movidas para exchanges registraram um aumento nas últimas semanas.

Publicidade

Publicidade

Conforme os dados, o crescimento nos últimos sete dias foi de 58%, com um valor de US$ 490 milhões. Portanto, completam a terceira semana consecutiva de alta nas entradas.

De acordo com o relatório, este é um sinal saudável do mercado, pois:

Publicidade

“As pessoas que os usam para casos de uso do mundo real, como pagamentos/remessas, [as stablecoins] são adotadas.”

Ademais a instituição bancária complementa:

Publicidade

“Três semanas consecutivas de entradas [de stablecoin] indicam que os investidores em busca de aumentar, seletivamente, sua exposição a ativos digitais depois de mudar defensivamente para ativos menos voláteis.”

Ademais, o bitcoin teve um desempenho em grande parte como uma ação de tecnologia este ano, conforme dados da Arcane Research de abril.


Entretanto é interessante ver que, de acordo com o analista das da Aracane, esse tipo de comportamento da moeda digital difere da atuação esperada por alguns players do mercado.

Em síntese, os analistas defendem que a BTC se comporta como um ativo não correlacionado, ou como um hedge da inflação.

Contudo, não é o que tem se mostrado, devido ao seu comportamento nos últimos meses, muito semelhante a ativos de risco.

O que leva investidores a saírem de suas posições em bitcoin, em busca de ativos menos voláteis.

Por fim, após a queda de 72% em relação à sua alta histórica de US$ 69.044, o BTC possui cotação atual abaixo dos US$ 19 mil, de acordo com a CoinGecko, no momento da escrita deste texto.

*Com Criptonizando

Publicidade