Anfavea diz que problema de semicondutores está menos crítico

Publicidade

Publicidade

A direção da Anfavea, entidade que representa as montadoras, considerou nesta terça-feira que a crise de abastecimento no setor tem se tornado menos crítica, ao comentar os resultados de maio, mês com a melhor produção de veículos no ano.

“O problema de semicondutores ainda persiste, mas, devagar, a situação tem se tornado menos crítica na comparação com o mês anterior”, afirmou Márcio de Lima Leite, presidente da Anfavea, durante apresentação do balanço de maio à imprensa.

Publicidade

Ele ponderou, contudo, que as fábricas ainda enfrentam “grande desafio” para manter o ritmo de produção.

Estimativa da Anfavea

Desde o início do ano, 16 montadoras pararam por falta de peças, em especial componentes eletrônicos. A média foi de 20 dias de parada em cada uma, resultando em cerca de 150 mil veículos que deixaram de ser produzidos, após as 350 mil unidades perdidas em 2021, segundo estimativa da Anfavea.

Publicidade


Publicidade

O presidente da Anfavea comentou que os problemas de fornecimento não se resumem mais apenas aos semicondutores, cuja escassez representa o maior gargalo da indústria, incluindo agora também Itens como borrachas, cabos e resinas. São materiais, observou, que vêm exigindo maior planejamento das montadoras.

Oferta de produtos

Apesar disso, Leite afirmou que a indústria tem conseguido melhorar a oferta de produtos, o que permitiu um resultado que ele classificou como “impressionante” das vendas.

Publicidade

Publicidade

O presidente da Anfavea destacou ainda que a demanda segue superando a oferta de carros, porém ele também demonstrou preocupação com impactos da alta dos juros no custo dos financiamentos.

*Com Estadão Conteúdo.

Publicidade

Publicidade