Alta de 0,1% na inflação dos EUA fica abaixo do esperado

CPI divulga acúmulo de 7,1% nos últimos 12 meses no dia da última reunião do Fed

Publicidade

Publicidade

A inflação dos Estados Unidos registrou uma alta de 0,1% em novembro, segundo dados divulgados pelo Departamento do Trabalho nesta terça-feira (13). O Índice de Preços ao Consumidor (CPI) acumulou 7,1% nos últimos 12 meses e ficou abaixo do atingido no mês anterior (7,7%). É a menor taxa desde dezembro de 2021.

O crescimento abaixo da expectativa do mercado facilita a redução de taxas de juros estadunidenses pelo Federal Reserve (Fed). A última reunião do ano da instituição dos bancos centrais do país começa nesta tarde e deve anunciar a decisão sobre os juros na próxima quarta (14).

Alta controlada nos índices

Publicidade

O Consumer Price Index (CPI), ou Índice de Preços ao Consumidor (IPC), é o indicador inflacionário mais importante dos EUA, ele calcula a variação dos preços de bens e serviços separados em oito grupos. De acordo com os resultados de novembro, o maior contribuinte para a alta foi o grupo habitação, mesmo com a queda significativa de 1,6% no índice de energia, contra 1,8% em outubro. 

Em transporte, a gasolina caiu 2%, contra a alta de 4% registrada no mês passado.

Publicidade

Outro destaque do mês foi alimento e bebidas, que embora tenha ficado abaixo do valor registrado em outubro (0,6%), subiu 0,5% em novembro, incluindo produtos alimentares dentro e fora do domicílio. Frutas e vegetais manifestaram alta de 1,4%, diante do recuo de 0,9% em outubro, ao mesmo tempo que as carnes apresentaram uma baixa de 0,8%.

Publicidade


Segundo o Departamento do Trabalho dos EUA, isso foi consequência do aumento de preço de quatro dos seis principais índices de grupos de alimentos de supermercados. 

Publicidade

Publicidade

Já o núcleo do índice de preços ao consumidor, também chamado de núcleo da inflação, subiu 0,2% neste mês, sendo a menor taxa desde agosto de 2021. Ele é composto por todos os grupos, com exceção de alimentos e energia. No acumulado dos últimos 12 meses, a alta apresentou um crescimento de 6%.

Ambos resultados se apresentaram abaixo do esperado. 

Publicidade

Inflação desacelerada

Enquanto em outubro a taxa avançou 0,4%, em comparação ao mês anterior, o avanço de novembro de 0,1% ficou abaixo da projeção de 0,3% calculada por economistas consultados pela agência de notícias Reuters

Antes no ano, o CPI atingiu a maior taxa desde novembro de 1981, com um auge de 9,1% em junho de 2021. Desde o início de 2021, os Estados Unidos continuavam a lidar com os impactos da pandemia de Covid-19 e a alta do preços dos combustíveis, consequência da guerra na Ucrânia.

Publicidade

O resultado recém divulgado manifesta uma desaceleração na inflação estadunidense em quase 40 anos, também resultado das novas políticas monetárias do Fed.

Presidente do Federal Reserve, Jerome Powell/Foto: Elizabeth Frantz/REUTERS

Reunião do Fed

O levantamento foi divulgado no dia da última reunião do Fed em 2022, na qual será determinada a taxa básica de juros. Diante dos dados divulgados, a projeção se mantém reduzida, e pode significar um aumento mais “sereno” das taxas.


A expectativa da taxa está em um aumento de 0,5 p.p, o que representa uma alta desacelerada entre 0,25% e 0,5%, sob a taxa atual de 3,75% a 4%. Desta forma, quebrando a alta consecutiva de 0,75 pontos percentuais vista nas quatro últimas alterações. A taxa que hoje se encontra em constantes altas estava zerada há mais de um ano.

O presidente do Fed, Jerome Powell, já havia expressado a possibilidade de reduzir o ritmo das altas para dezembro. Ele anunciará a decisão no próximo dia 14 de dezembro.

Publicidade