ABLA aponta o aluguel de veículos em locadoras cresce em 1,37 milhão de unidades

O setor de automóveis atinge cerca de 14 mil atividades ativas em relação ao ano de 2020

Publicidade

Publicidade

Nesta terça-feira (22), a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA), disse que a frota total do setor de automóveis atingiu cerca de 1,37 milhão de unidades no mês de outubro, apresentando um aumento de 22,8% acima do resultado em dezembro de 2021. 

A ABLA afirmou que espera compras de carros em cerca de 55 mil a 60 mil, para o mês de novembro e dezembro, entretanto a associação também diz que o setor de produção ainda apresenta alguns problemas na cadeia automotiva. 

As locadoras de automóveis 

Publicidade

Os dados apresentados pela ABLA apontam que as locações de automóveis conseguiram gerar mais lucros, este ano através de veículos seminovos, isso por que a produção de veículos novos, ainda apresenta dificuldades, devido a  pandemia de COVID-19.

O novo presidente do conselho da ABLA, Marco Aurélio Nazaré, aponta que 52% da frota total de locadoras utilizam a terceirização, portanto o custo financeiro acaba não se tornando o único meio de alugar ou comprar os veículos seminovos.

Publicidade


Publicidade

De acordo com o relatório anual divulgado pela ABLA, as locadoras de veículos “vivem sua melhor fase”, mesmo com a crise na produção das montadoras de veículos, deste modo fazendo com que o setor de locadoras crescesse 33,5%, neste ano.

Produção de veículos em 2022

Marco Aurélio Nazaré, disse que as montadoras de automóveis ainda seguem tendo muito mais dificuldades do que as locadoras de carro.

Publicidade

Publicidade

O presidente também aponta que, mesmo com as locadoras apresentando um bom  resultado na venda de veículos semi-novos, grande parte do setor de automóveis ainda depende da produção das montadoras. 

“Ainda há muito o que melhorar na indústria automotiva, porque a produção segue reduzida, alguns modelos específicos têm problemas, principalmente modelos de entrada”, afirmou o presidente do conselho da ABLA, Marco Aurélio Nazaré em entrevistas.

Publicidade

Presidente do conselho da ABLA, Marco Aurélio Nazaré Créditos: Reprodução

Balanços do terceiro trimestre 

De acordo com as pesquisas realizadas pela ABLA, assim como as informações do Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO), as empresas de locação de automóveis são responsáveis por 33% de todos os veículos e comerciais vendidos durante o terceiro trimestre de 2022.

Entre os meses de julho, agosto e setembro as locadoras compararam cerca de 179.048 veículos, apresentando um crescimento de 22,8% em relação ao terceiro trimestre de 2021, que foi em cerca de 145.720 unidades. Nessa pesquisa feita pela ABLA e a SERPRO, o volume adquirido apresentou um avanço de 129% em relação ao primeiro trimestre de 2022, período em que as locadoras arrecadaram cerca de 78.150 veículos. 

Publicidade

O conselheiro gestor da ABLA, Paulo Miguel Junior, disse que os resultados ratificam o setor de aluguel de carros, sendo assim é essencial a retomada de vendas de veículos: “Esse crescimento e diversificação da frota das locadoras também vai ao encontro do desejo de atendimento cada vez mais personalizado por parte de empresas e de pessoas físicas”.

O setores de vendas que apresentaram bons resultados no terceiro trimestre foi a Fiat com a venda de 46.017 veículos, portanto levando o primeiro lugar de melhores vendas neste trimestre, a Volkswagen com 41.638, Chevrolet com 25.135 e a Renault com 13.870 de veículos vendidos. 

Até o mês de Setembro, a Fiat e Volkswagen seguiram à frente nas vendas de veículos, com um resultado total de 103.761 e 73.852 veículos entregues para as empresas de aluguel de carros. 


As expectativas da ABLA para a venda de automóveis 

Por fim, o presidente do conselho da ABLA, disse  que a expectativa da associação é de adotar novas tecnologias, para tentar melhor a produção de veículos, deste modo, Nazaré estima que o mercado de automóveis deve crescer em 0,7%, em 2023, quando setor deve ser deslocado dois dígitos do Produto Interno Bruto (PIB).

Publicidade