TESOURO Selic negativo: O que isso significa?

No ano de 2020, o Tesouro Selic ficou negativo pela primeira vez em 18 anos! A última vez que isso tinha acontecido, foi em 2002.

Publicidade

Publicidade

Sem dúvida alguma, a notícia não foi bem recebida por investidores desse tipo de papel, afinal, os próprios economistas dizerem que o Tesouro Selic é um dos investimentos mais seguros do mercado.

Diante dessa situação, as pessoas começaram a se perguntar o que realmente está acontecendo no mercado financeiro. Será que é hora de procurar outras modalidades de investimentos?

Publicidade

Para você entender mais sobre o que está acontecendo, preparamos esse artigo para você. Vamos te explicar tudo sobre o assunto. Confira:

O que é Tesouro Selic negativo?

Antes de qualquer coisa, é importante você saber que o Tesouro Selic (LFT) é um título de dívida pública emitida pelo governo.

Publicidade

Ao fazer esse tipo de investimento, você está na verdade, emprestando dinheiro ao puder público. Em troca, você recebe juros por isso.

Publicidade

A vantagem é que você pode resgatar o seu dinheiro quando quiser, sem ser prejudicado.

Porém, essa taxa está totalmente relacionada ao aumento da inflação. Se a inflação sobe, a taxa sobe. Se a inflação cai, a taxa Selic também cai.

Publicidade

Publicidade

De certa forma, até poderia ter um lado bom nessa história, já que juros baixos facilitam a vida de quem possui dívidas.

Contudo, na prática, não é assim que acontece. Primeiro, porque os bancos não vão necessariamente abaixar os juros para quem tem dívidas.

Publicidade

Segundo, porque quando o risco de investimento é alto, a rentabilidade também é alta. Porém, com a taxa Selic a 2%, a rentabilidade acaba se tornando pouco atrativa para os grandes investidores do mercado.

Como a Taxa Selic está baixa, o rendimento cai. Consequentemente, diminui-se a procura por investimentos no Tesouro Direto.

Publicidade

Por que o Tesouro Selic está com retorno negativo?

O desempenho do Tesouro Selic (LFT) está totalmente relacionado a estes três fatores:

– Taxa Selic baixa

– Agravamento das contas públicas

– Leilão de títulos realizado pelo Tesouro em setembro de 2020

Além disso, não é novidade para ninguém que o novo coronavírus, também causou problemas na economia brasileira.

Devido ao aumento de gastos relacionados as medidas de combate ao covid-19, a situação fiscal brasileira se tornou ainda mais fragilizada.

O problema é que mesmo antes de o coronavírus surgir, a situação econômica do país já estava ruim, afinal, nós estamos vivenciando uma crise desde o final do ano de 2014.

Porém, no ano de 2020, houve um grande aumento da dívida pública, que fez com que uma outra crise surgisse.

Dessa forma, o Brasil se tornou um país ainda mais arriscado para realizar investimentos.

Os juros mais curtos permaneceram muito baixos, já que em um momento de retração econômica, é normal a realização de estímulos monetários.

Em contrapartida, os juros de médio e longo prazo dispararam.

Como se não bastasse tudo o que aconteceu, o governo não definiu com 100% de certeza o que será feito para contornar a situação.

Há algum risco de calote para o Tesouro Selic?

É muito difícil haver um calote no Tesouro, afinal, em último caso, o governo pode imprimir moeda para pagar a dívida interna.

O que está acontecendo com o Tesouro Selic cria uma preocupação maior em relação as contas públicas, que estão sendo deterioradas.

Ou seja, a atual situação pode trazer problemas em relação ao mercado de títulos públicos, que pode ficar disfuncional (se a situação não for controlada).

Vale a pena tirar os seus investimentos no Tesouro Selic?

Antes de qualquer coisa, é preciso analisar a sua situação financeira.

De qualquer forma, tudo indica que o está acontecendo com o Tesouro Selic, seja algo passageiro. Ou seja, é bem provável que a situação volte ao normal em alguns meses.

Além disso, se você tirar tudo agora, vai perder o dinheiro que já investiu. Por isso, caso não possua necessidade imediata de retirar esse dinheiro, pode deixá-lo ali, ou então, retire uma parte para diversificar seus investimentos.

O que você realmente precisa saber, é que o Tesouro Selic deve ser utilizado como um investimento que traz retorno a médio e longo prazo.

Portanto, não se desespere com o que está acontecendo, pois ao investir nessa modalidade, você não deve pensar em retorno imediato.

Está na hora de diversificar a reserva de emergência?

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais seguros do mercado. Contudo, não há investimento 100% seguro.

O que isso quer dizer? Simples. Não importa a situação, você precisa diversificar seus investimentos.

Nem mesmo o Tesouro Selic, que sempre foi considerado uma das opções mais seguras de investimento por economistas e especialistas no assunto, está imune ao que acontece no mercado.

Por isso, você deve sim diversificar os seus investimentos.

Se você ainda não possui uma reserva financeira, uma ótima opção é cadastrar uma conta em um banco digital, que ofereça um CDB que rende pelo menos 120% do CDI.

Lembre-se que caso aconteça alguma coisa, você vai precisar desse dinheiro de forma imediata. Ou seja, por mais que haja opções muito vantajosas de investimento, se a sua preocupação for criar uma reserva de emergência, você deve procurar por investimentos com alta liquidez (o Tesouro Direto tem liquidez diária).

Publicidade