O Tesouro Nacional; tenha benefícios investido no seu país

Certifique-se do que é o tesouro nacional, suas funções e a rentabilidade que pode gerar aos indivíduos

Publicidade

Publicidade

A relação do tesouro nacional com o tesouro direto, é que para existir o primeiro é necessário que se tenha o segundo, logo é simples de concluir que o tesouro nacional só é colocado em prática, quando o tesouro direto é utilizado primeiro e dessa forma, um sistema de investimentos se complementa com uma gerência financeira.

Confira a definição e funcionalidades do tesouro nacional 

Publicidade

O tesouro nacional é o responsável pelo andamento fiscal e contábeis do país, faz um policiamento das despesas, das receitas, cumpridor das transferências, lideram as questões das consequências déficits primários, que podem resultar em dívidas públicas. O tesouro nacional também dá alta em atualizações de status, situações e condições da União.

Podemos rapidamente afirmar que o tesouro nacional é um elemento montado pelo governo para que tivesse sempre uma agenda de planejamentos a ser seguida para que não se tornasse um caos os assuntos financeiros da nação.

Publicidade

Como dito antes, é um elemento, um instrumento usado por uma administração superior, a qual o introduziu no manejo de organização, o STN (Secretaria do Tesouro Nacional). Esta é uma secretaria dentro de um ministério, ou seja, o presidente escolhe diferentes pastas de diversos assuntos que um governo deve, pela constituição, cumprir. Uma dessas pastas é o ministério da economia e que dentro dela há secretaria, subdivisões de outros assuntos relacionados apenas com a economia, uma delas é a Secretaria do Tesouro Nacional).

Publicidade

Esta secretaria, que  já tem 35 anos de existência, se relaciona com efeitos econômicos por todo o Brasil, um exemplo é o PIB (Produto Interno Bruto), que é a quantidade de operações industriais ou empresariais foram quantitativas.

Tarefas que o Tesouro Nacional tem para praticar suas responsabilidades

Publicidade

Publicidade

Cuida da parte financeira do país, abrangendo estados e municípios, recebendo tributos que serão direcionados a outras finalidades.

Ele também direciona tributos aos estados, municípios e distrito federal,mas deve seguir algumas regras e se manter dentro da lei; dentre elas:

Publicidade

1.Fundo de Participação dos Municípios (FPM): é uma verba, ou seja, uma quantia em dinheiro destinada a municípios e é feita dependendo do número de habitantes da região;

2.Fundo de Participação dos Estados (FPE): É basicamente a mesma coisa que o FPM, no entanto, essa verba é direcionada aos Estados e Distritos Federais.

Publicidade

É necessário todo esse esquema, afinal os governantes precisam fazer o papel de seguir as regras e responsabilidades da constituição, realizando pagamentos aos servidores públicos também, pagar a aposentadoria, entre outras despesas.

Atividades de dívidas pública e relação com o tesouro nacional

Os recursos obtidos pelo governo para pagar suas despesas são extremamente baixos de acordo com as dívidas feitas, o que impossibilita de algumas coisas serem pagas.

Algumas ficam com incapacidade de serem abatidas, como por exemplo, a previdência, entradas para instrumentos sociais, salários dos funcionários públicos, como policiais, professores, médicos, entre outros e eliminações de dívidas.

Para solução dos problemas citados acima, é que existe o tesouro nacional, investimentos no governo, que gerará uma rentabilidade com juros e antes do prazo de vencimento, o dinheiro é usado para pagar o que a receita total, de impostos, tributos, etc, não tem receita suficiente para cobrir.Isso é feito por meio do tesouro direto, uma plataforma para investir.

Frutos obtidos ao investir no tesouro nacional

É de sabedoria geral que para ter um retorno válido de qualquer aplicação na maioria das vezes o vencimento para resgatar o dinheiro seja a longo prazo, logo, quanto mais tempo aplicado, mais rentabilidade no futuro. Com o tesouro nacional, é dessa forma também.

Quando a Taxa SELIC (Sistema Especial de Liquidação e Custódia, com mais especificidade, a taxa básica de juros, que irá influenciar as outras diversas taxas de juros do Brasil) está alta, gera risco para o país e isso para o investidor é bom, afinal o juros do Tesouro Nacional aumentará. Quando não há previsibilidade de risco para a economia, ela entrega os juros já esperados aos investidores.

Títulos para investir no Tesouro Nacional 

Há três centrais tipos de títulos:

Entenda melhor esses títulos e suas  rentabilidades

Tesouro  Selic

Considerado o mais seguro, pois sua rentabilidade é pós-fixada. Só saberá quando tem valor para ser resgatado na data de vencimento. Não há mudanças de valor com o aumento dos juros.

Ele é vantajoso para quem está começando no mercado financeiro, afinal a segurança que ele oferece não deixaria um novato inseguro e com vontade de desistir.

Tesouro IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo)

Esse título é proveitoso para quem deseja ter lucros acima da inflação, ao investir. Tem uma rentabilidade híbrida, ou seja uma parte destinada ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário) o que varia diariamente a taxa e outra parte é destinada ao resgate apenas no dia do vencimento, e é possível retirar antes, no entanto haverá ajustes no preço do título o que leva a uma marcação de mercado, que pode estar em duas situações referente aos juros; maior que a taxa de aplicação  e  menor que a taxa de aplicação. No primeiro a rentabilidade será válida, no segundo ela estará inválida.

O retorno pode vir inteiro quando vencer ou pode vir semestralmente.

LTN (Letra do Tesouro Nacional)

De rentabilidade pré-fixada, o investidor já está ciente de quanto terá de rentabilidade, pois é definido no momento da aplicação. 

Julgado como arriscado pela oscilação que os juros podem ter, mas se o aplicador repara antes uma queda dos juros ele consegue tomar medidas que não o façam ter prejuízo. 

Tributação

Como é uma um investimento por meio de renda fixa, os tributos são calculados de acordo com o que a renda fixa pede:

  • Rendimento investido dentro de 180 dias: 22,5%;
  • Rendimento investido dentro de 180 a 360 dias: 20,0%;
  • Rendimento investido dentro de 361 a 720 dias: 17,5%; 
  • Rendimento investido acima de 720 dias: 15,0%.

Taxas 

Exigências de pagamentos que surgirão por meio das instituições financeiras:

  1. Administração: Eles cobram as taxas por conduzir o investimento, quando cobrada, pois atualmente muitas dessas instituições pararam de taxar isso, ela é calculada mediante a um percentual aplicado por ano, onde o mínimo é  0 e o máximo 2%;
  1. Custódia: Uma taxa de segurança que já foi mais utilizada, quando é cobrada tem um valor fixo em que irão proteger seus investimentos;
  1. Bolsa de valores brasileira (B3- Brasil, Bolsa, Balcão): Com um mínimo de 0,25% cobrado de acordo com o valor investido no ano, essa taxa é obrigatória para que investe acima de 10 mil reais ao ano;
  1. IOF (Imposto sobre operações financeiras): Quando o investidor resgata o que foi investido em 30 dias após a aplicação, quanto mais tempo em que o investimento foi alcançado menor o valor do IOF, e quando chega o trigésimo dia não é cobrado pelo que foi resgatado.  

Passo a passo de como investir nesse sistema

Se você ficou interessado em investir no tesouro nacional, ou quer aprender mais sobre essa aplicação, siga conosco e veja como é simples investir depois que adquire conhecimento.

Publicidade