Mesada educativa: Um ensinamento sobre administração financeira

Uma maneira de crianças e jovens criarem responsabilidade com o uso do dinheiro com uma constante mesada de forma educativa

Publicidade

Publicidade

No Brasil está sendo criado uma estrutura cultural de aplicação da educação financeira, principalmente pelo fácil acesso as redes sociais e internet, pois especialistas e profissionais na área de finanças e economia passaram a criar conteúdos de maneira mais simples sobre o assunto, o que inseriu muitos brasileiros em uma forma de educação financeira, que é por meio da mesada educativa.

Por conta dessa inserção e popularidade crescente de aquisição de conteúdos sobre finanças, muitas famílias passam os conhecimentos sobre o assunto para os seus filhos, sendo eles crianças ou jovens.

Publicidade

Isso é uma forma de fazerem ter noção, na teoria, mas também na prática, pois desde a infância se adquire uma bagagem de planejamento por meio da mesada educativa.

A mesada educativa e a experiência de administrar o dinheiro

Publicidade

A mesada educativa pode ser definida como uma oportunidade de jovens e crianças ganharem dinheiro de seus pais mensalmente, para que aprendam a administrá-lo. Existem diferentes formas de adquirirem esse valor, e isso dependerá de como cada responsável vai montar essa dinâmica.

Publicidade

Mesmo sendo novos, a vontade de ter algo que seja próprio surge, independente da idade, é algo que faz parte da vida humana, e é algo que a lei da oferta e demanda pode explicar. 

Por mais que esse desejo de compra apareça, a forma de governar isso é uma evolução, de mentalidade e de conhecimento sobre como suprir esse desejo, os adultos têm mais  vivência e logo mais sabedoria comparado com um adolescentes e crianças e vale lembrar que nem sempre foi assim.

Publicidade

Publicidade

Então eles passarem os erros e acertos que já cometeram nessa área é importante e complementar com o conhecimento de pessoas da área é importante, terem esse contato e conversas, sobre o uso do dinheiro e como adquiri-lo, com pessoas mais velhas é uma grande oportunidade de ter mais rapido informações que agregue sua vida financeira.

Ou seja, a mesada se torna um mecanismo de experiência, de colocar em prática por exemplo que para comprar algo que deseja é necessário organizar os recursos que se tem naquele momento e calcular se é possível consumir, vale lembrar que erros serão cometidos, mas eles virão para marcar uma atitude, em relação com as finanças pessoais, da qual não será mais cometida.

Publicidade

Uma outra forma, que vai além dos pais separarem uma quantia em dinheiro e entregarem aos seus filhos, é só deixar disponível a mesada se houver um esforço do jovem ou da criança, algo que o faça agir para ter em troca como recursos financeiros.

Esse pensamento e aplicação que faz algumas famílias darem tarefas domésticas, por mais simples que sejam, ao fim os jovens e as crianças darão o dinheiro aos filhos como troca do serviço feito, no entanto tem famílias que usam dinâmicas diferentes e usam outros métodos.

Publicidade

O método é dar a quantia mensalmente só para que aprenda como administrar o dinheiro para o dia que tiver uma fonte de renda por meio do trabalho. 

Por fim, antes de darem qualquer dinheiro, independente do que motivou a essa atitude, os mais novos podem pegar como exemplo de como administrar o que guarda, gasta para consumo de desejo próprio e o que é de despesa, a forma que os pais fazem isso, e com o tempo, conforme for crescendo vai se adaptando.

O porquê a mesada educativa é significativa 

Ter uma estrutura e vivência é importante em todos os aspectos da vida, assim como ter uma mentalidade prudente, com planejamentos financeiros e  com os recursos financeiros disponíveis de acordo com a vida individual de cada um. 

O dinheiro é importante para a sobrevivência, é ele que compra mantimentos básicos necessários para a vida humana, ele representa o trabalho e esforço das pessoas, por isso saber usá-lo desde cedo é necessário. 

Pode acontecer do planejamento financeiro ser feito para atingir uma quantia em dinheiro que será poupada e economizada para uma faculdade futura, um curso, mentalidade essa que os pais também podem inserir na vida dos filhos.

Também há um planejamento para que as crianças empreenderem, como acontece em muitos casos em que crianças vendem coisinhas como forma de brincadeira, mas futuramente pode servir de conhecimentos para abrirem um negócio.

Um ponto importante que pais e responsáveis devem ensinar seus filhos, é sobre gastos e compras que não tem tanta importância e impacto na vida deles, isso cria um pensamento e questionamentos primitivos antes de comprar algo, se aquilo será útil na vida da criança.

Ou seja, é ensinar a planejar mais que o financeiro e sim um estilo de vida onde o consumo compulsivo e viciante não terá espaço. 

Vale lembrar que é algo que vem junto com os exemplos práticos que eles observaram e também a inserção deles no conhecimento das despesas familiares.

O valor da mesada

O quanto deverá ser dado aos filhos em uma mesada educativa dependerá da renda mensal e o orçamento de cada família, e assim como a idade o valor pode ser crescente, sempre de acordo que  os parâmetros orçamentários não sejam prejudicados.

O mais importante é deixar a criança ter um contato desde cedo com o dinheiro, um cofrinho para ela, e ser estipulado pelo país um período em que ela o usará, até quebrar e depois definir, com os exemplos familiares, como usará o dinheiro.

Conversar e ensinar a economizar o dinheiro a longo prazo, para realizar algo e até mesmo apresentar o básico sobre investimentos para as crianças contará como educação financeira é válida e quando adolescentes terão conhecimentos sobre um  planejamento financeiro mais abrangente.

Vão talvez querer mais oportunidades de conquistar o dinheiro sem ser pela mesada educativa e por isso buscam empregos como os de jovem aprendiz, onde criam uma responsabilidade maior e desde estão inseridos também no mercado de trabalho.

Publicidade