Juros compostos: saiba como calcular

Esta taxa pode ser positiva para um investidor de longo prazo

Publicidade

Publicidade

Quando você procura uma boa maneira de investir na Bolsa de Valores, é necessário ficar atento sobre os riscos e se planejar para que não haja danos. Entretanto, existe uma taxa que pode trazer vantagens para um investidor de longo prazo.

Os juros compostos podem trazer muitos benefícios ao investidor, isso porque com o tempo, o efeito desta taxa pode gerar benefício no capital investido, fazendo com que o montante que foi aplicado aumente cada vez  mais rápido, portanto, de maneira exponencial. 

O que são os juros compostos? 

Publicidade

Os juros compostos fazem parte da modalidade de rendimento e tem como objetivo beneficiar o investidor, fazendo com que crie um monte acumulado sobre os seus investimentos. Portanto, os juros compostos também podem ser chamados de juros sobre juros. 


Publicidade

Por mais que os juros compostos ajude de maneira positiva o investir, esta modalidade pode fazer com que a dívida total aumente de maneira rápida. Deste modo, é fundamental entender como esta taxa funciona, para que o investidor não tenha grandes riscos na hora de investir no mercado de ações. 

Publicidade

Quando os juros compostos são aplicados nos investimentos, é necessário que os resultados sejam potencializados, sendo assim, o investidor precisa estar atento com duas variáveis: a rentabilidade e o tempo. 

Quanto maior a rentabilidade do investimento, assim como também o prazo em que foi aplicado, o retorno pode ser maior em juros compostos, gerando juros exponenciais. 

Publicidade

Publicidade

Por mais que o conceito matemático dos juros composto seja fundamental para entender melhor esta modalidade, é importante entender primeiro como é que o investidor pode utilizar os juros e impulsionar a acumulação de recursos ao longo do tempo. 

Qual a importância dos juros compostos? 

A importância de entender como funcionam os juros compostos pode te ajudar a criar uma independência financeira, já que esta modalidade pode te ajudar a se organizar financeiramente, assim como também atingir metas dentro do mercado financeiro. 

Publicidade

É comum encontrar muitas pessoas no mercado que não entendem de fato como os juros compostos funcionam.

A importância de entender como funcionam os juros compostos pode te ajudar a criar uma independência financeira/Foto: Reprodução

Juros simples x Juros compostos

Quando o investidor aplica juros simples em seus rendimentos, ocorre uma apropriação de juros sobre uma dívida, que acabam sendo feitas sobre o valor principal. Portanto, o percentual de juros torna-se apropriado sempre sobre o mesmo valor dos investimentos. 

Publicidade

O juros simples é calculado com base no mesmo montante de uma aplicação ou dívida de juros simples. Entenda abaixo como efetuar o cálculo desta modalidade. 

Exemplo: Seu investimento possui uma característica de rendimento que é considerada em uma aplicação de 10 mil reais com juros de 1% ao mês. 

Cálculos por mês: 

  • 1º mês: 1% sobre R$10.000,00 = R$100,00;
  • 2º mês: 1% sobre R$10.000,00 = R$100,00;
  • 10º mês: 1% sobre R$10.000,00 = R$100,00;
  • 240º mês: 1% sobre R$10.000,00 = R$100,00.

A taxa presente em cada aplicação com juros simples, sempre será o mesmo valor, já que o percentual do rendimento é calculado com base no mesmo valor. Deste modo, em seu valor inicial.

Diferente dos juros simples, o composto é calculado a partir dos acumulados, portanto, de acordo com os juros apropriados de períodos anteriores. 

Exemplo: O investidor possui uma aplicação inicial de 10 mil reais, com 1% de rendimentos, só que agora será calculado os juros compostos deste investimento. 


Cálculo por meses anteriores: 

  • 1º mês: 1% sobre R$10.000,00 = 100,00;
  • 2º mês: 1% sobre R$10.100,00 = 101,00;
  • 10º mês: 1% sobre R$10.936,85 = 109,37;
  • 240º mês: 1% sobre R$107.847,47 = 1.078,47.

Como calcular os juros compostos? 

Para iniciar o cálculo, é necessário lembrar que os juros compostos são os juros sobre juros, portanto, os juros de períodos anteriores. 

Fórmula dos juros compostos: 

M = C x (1+i) t

Observação: O cálculo a partir da fórmula deve ser de

M = montante acumulado;

C= capital inicialmente aplicado;

i = taxa de juros;

t = quantidade de períodos.

Cálculo:

O montante acumulado (M) deve ser multiplicado por uma parte da taxa de juros (i), depois o capital inicial será multiplicado por (1 + i) elevado a t. Por fim, a última parte da fórmula é o fenômeno de juros sobre juros, já que o período sempre será calculado com base no prazo anterior, devido à potência da equação. 

Exemplo mais nítido de como fazer o cálculo dos juros compostos: 

  • Taxa de juros (i) = 1% a.m;
  • Número de meses (t) = 3;
  • Fórmula simples: M = C x (1 + 0,01)³;
  • Fórmula completa: M = C x (1 + 0,01)x(1+0,01)x(1+0,01).

É importante entender como funciona a dinâmica dos juros compostos, para que assim o investidor entenda como pode aplicar esta modalidade aos seus investimentos de longo prazo, ajudando a potencializar a acumulação de seus capitais no mercado financeiro.

Publicidade